Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2016 > Obra "Velho Chico" é selecionada para a 13ª edição da Bienal Naïfs do Brasil
conteúdo

Notícias

Obra "Velho Chico" é selecionada para a 13ª edição da Bienal Naïfs do Brasil

A obra "Velho Chico", da artista brasiliense e funcionária da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) há 12 anos, Anoushe Duarte Silveira, foi selecionada para a 13ª edição da Bienal Naïfs do Brasil. O quadro, que retrata o rio São Francisco da nascente à foz, é inspirado nos ribeirinhos, nas paisagens e na beleza do rio. O evento cultural reúne obras com temática popular de diferentes regiões do país.
publicado: 29/04/2016 11h04, última modificação: 20/06/2018 17h34

A obra "Velho Chico", da artista brasiliense e funcionária da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) há 12 anos, Anoushe Duarte Silveira, foi selecionada para a 13ª edição da Bienal Naïfs do Brasil. O quadro, que retrata o rio São Francisco da nascente à foz, é inspirado nos ribeirinhos, nas paisagens e na beleza do rio. O evento cultural reúne obras com temática popular de diferentes regiões do país.

Nesta edição, a Bienal analisou 948 trabalhos e selecionou 127 obras. Considerada a maior mostra de arte naïf da América do Sul, a Bienal teve como proposta valorizar a produção naïf e popular de todas as regiões do país. Esta foi a primeira vez que a artista Anoushe Duarte se inscreveu no evento.

"Eu estou verdadeiramente emocionada. Eu participei de exposições aqui no Brasil, mas foi a primeira vez que inscrevi um quadro em um concurso. E justamente a Bienal. Fiquei feliz demais em ser selecionada", disse.

No vocabulário artístico, a arte Naïf significa, em geral, um tipo de arte simples, desenvolvida por artistas sem preparo e conhecimento das técnicas acadêmicas. O termo Naïf pode ser traduzido como ingênuo e inocente, por isso a compreensão simplista. De acordo com a artista brasiliense, a arte é uma maneira de demonstrar como ela enxerga a vida.

"Eu me identifiquei com o Naïf, pela ingenuidade, espontaneidade, colorido, simplicidade. A técnica é intuitiva, não há escola, mas eu tive um grande incentivador que foi o artista renomado em naïf Rocha Maia. Além de grande artista tenho orgulho de dizer que é meu amigo. Ele bateu o olho em uma de minhas primeiras obras e disse. "Você é naïf!". Agradeço muito ao incentivo dele e de toda a família e amigos", ressalta.

Bienal Naïfs - Este ano, a mostra acontece de 19 de agosto a 27 de novembro de 2016, no Sesc Piracicaba (SP). A Bienal Naïfs do Brasil constitui-se em um evento cultural de grande amplitude e expressiva repercussão em todo o país. Realizada pelo Sesc São Paulo desde 1992, o evento foi criado com o intuito de privilegiar a participação de artistas que as obras são fortemente marcadas por elementos que caracterizam a cultura popular brasileira e criadas, em sua maioria, de forma autodidata.

Perfil - Anoushe Duarte Silveira é brasiliense e jornalista, pós graduada em documentário – com especialização em roteiros. Possui textos publicados em jornais e revistas e nos blogs http://www.amigas-da-leitura.blogspot.com/ e http://www.recantodasletras.com.br. Possui livros publicados em coautoria, selecionados em concursos literários. Desde 2004, é analista em Comunicação na Codevasf, lotada na Assessoria de Comunicação e Promoção Institucional (PR/ACP). Ela começou a pintar há cerca de dez anos, incentivada pela mãe, que é uma artista clássica. Realizou duas exposições individuais e uma coletiva.

Veja fotografias:

https://drive.google.com/folderview?id=0B7DB9ONXTfnhMHZnS0J5amtLN2c&usp=sharing