Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2016 > Dia Mundial da Água: Piscicultura familiar no Maranhão cresce com apoio da Codevasf
conteúdo

Notícias

Dia Mundial da Água: Piscicultura familiar no Maranhão cresce com apoio da Codevasf

Os piscicultores familiares do Maranhão têm recebido investimentos da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) para fortalecer a atividade no estado. Desde 2014, foram investidos mais de R$ 700 mil para oferecer meios de produção aliados ao potencial para geração de renda.
publicado: 23/03/2016 08h00, última modificação: 20/06/2018 17h34

Os piscicultores familiares do Maranhão têm recebido investimentos da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) para fortalecer a atividade no estado. Desde 2014, foram investidos mais de R$ 700 mil para oferecer meios de produção aliados ao potencial para geração de renda.

Essa é uma das ações da Codevasf que vai de encontro ao tema da Organização das Nações Unidas (ONU) para debater os problemas relacionados aos recursos hídricos e conscientizar sobre o Dia Mundial da Água (22 de março): “Água e empregos: investir em água é investir em empregos”

“O montante foi usado na aquisição de 240 tanques-rede, 20 barcos de alumínio, 20 motores de popa, equipamentos de suporte à piscicultura e insumos”, enumera o chefe da Unidade de Desenvolvimento Territorial da Codevasf no Maranhão, William Sousa.

Dessa quantia, foram aplicados aproximadamente R$ 215 mil na recuperação dos viveiros da estação de piscicultura e dos sistemas de captação e drenagem do Instituto Federal do Maranhão (IFMA) do município de São Raimundo das Mangabeiras, com o objetivo de propiciar as condições necessárias à formação de mão de obra técnica qualificada visando ao desenvolvimento da cadeia produtiva da piscicultura na região sul do estado.

“A aquisição de equipamentos adequados dá ao beneficiário um suporte fundamental para a produção de pescado. Essa cadeia produtiva possui um enorme potencial de crescimento, e a Codevasf vem dando apoio para que os pescadores aumentem a produção e, consequentemente, melhorem a qualidade de vida de suas famílias”, afirma o superintendente regional da Codevasf no Maranhão, Celso Dias.

piscicultor ma 1A Associação de Pescadores do Povoado Riacho Fundo, localizada na barragem de Boa Esperança, a 30 quilômetros da sede do município de São João dos Patos (MA), foi uma das primeiras a receber os equipamentos da Codevasf. Foram entregues 60 tanques-rede, dois barcos motorizados, alevinos e insumos para atender 16 famílias de piscicultores. Os produtores também receberam serviço de assistência técnica oferecido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar).

Na associação, todos trabalham diretamente no manejo diário do pescado e demonstram grande expectativa de melhorar a qualidade de vida, como conta o presidente da Associação, Deusdete Vieira de Souza. “Antes trabalhávamos na roça. Com a venda dos peixes, nossa renda melhorou e agora podemos dar um sustento melhor para nossas famílias”, enfatiza.

Desde o início das atividades, em meados de 2015, eles utilizam 10 tanques-rede para alevinagem e 50 para engorda. Assim, atingem um ciclo de produção que resulta em 10 tanques/mês, o que lhes rende cerca de 450 quilos de peixe por tanque. Do total apurado com a venda (algo em torno de R$ 34 mil), 80% são reinvestidos na aquisição de alevinos e de ração.

“O empenho dos piscicultores de Riacho Fundo atrelado a uma nova fonte de renda gerada com a produção do pescado traz condições para que essas famílias aumentem seus ganhos e saiam da situação de vulnerabilidade social”, assinala o secretário adjunto de Agricultura e Coordenador do Projeto de Aquicultura de São João dos Patos, Marcelo de Sá. Segundo ele, a iniciativa busca alavancar os indicadores sociais do município.

A exemplo do que ocorre em São João dos Patos, a Codevasf também beneficia outras famílias maranhenses. Neste mês, por exemplo, ocorreu o transporte de tanques-rede e de barcos motorizados para o município de Pastos Bons. Além desse e de São João dos Patos, o coordenador de Inclusão Produtiva do Plano Brasil sem Miséria no Maranhão, Adenilson Kerlisson, cita outras praças com potencial para a atividade piscícola, como Magalhães de Almeida, Joselândia, Pindaré Mirim, Grajaú e Tuntum.

Veja fotografias ilustrativas no Flickr da Codevasf:

https://www.flickr.com/photos/codevasf/albums/72157666127572251

Ouça as notícias da Rádio Codevasf:

https://soundcloud.com/codevasf