conteúdo

Nilo Coelho

por Antônio Luiz de Oliveira Correa da Silva publicado 31/07/2018 18h45, última modificação 03/05/2021 14h30

Localização: Municípios de Casa Nova - BA e Petrolina - PE – Submédio São Francisco
Polo de Desenvolvimento: Petrolina/Juazeiro
Área Irrigável: 18.667 ha
Área Ocupada: 18.051 ha (12.027 ha – lotes familiares; 6.024 ha lotes empresarias)
Fonte hídrica: Rio São Francisco, lago de Sobradinho
Vazão outorgada vigente: 328.879.115 m3.ano-1
Investimentos até 2020: R$ 711.681.837,74
Dados da infraestrutura: 976 km de canais; 818 km de adutoras, 711 km de estradas; 263 km de drenos; 39 estações de bombeamento
Início de funcionamento: 1984
Início da cogestão: 1989

O Projeto Nilo Coelho está inserido no polo de irrigação Petrolina/Juazeiro. Iniciou a operação no ano de 1984, ocupando uma área que se estende ao longo do rio São Francisco, na sua margem esquerda, desde a barragem de Sobradinho, no município de Casa Nova – BA, até a sede do município de Petrolina – PE (DIAGNÓSTICOS e planos..., 2005).

Esse projeto abrange uma superfície irrigável ocupada de 18.051 hectares, dos quais 12.027 ocupados por pequenos produtores (colonos) e 6.024 ha por pequenas, médias e grandes empresas, subdividida em áreas denominadas de PA I, II e III e Maria Tereza (DIAGNÓSTICOS e planos..., 2005).

O projeto possui onze núcleos habitacionais e três centros de serviços15 escolas, postos de saúde, telefônicos e policiais, além de biblioteca e áreas comerciais. Na área Maria Tereza existem cinco núcleos de serviços, cinco escolas fundamentais, um prédio administrativo e postos telefônicos e policiais (CODEVASF, 1999).

Produção agrícola

Nilo Coelho_VBP.jpg

Figura 1: Evolução do Valor Bruto de Produção do projeto Nilo Coelho entre os anos 2016 e 2020.
Fonte: Elaborado com dados da CODEVASF, 2021.

Nilo Coelho_culturas.jpg
Figura 2: Principais espécies cultivadas no projeto Nilo Coelho, de acordo com o VBP, no ano de 2020.
Fonte: Elaborado com dados da CODEVASF, 2021.

Características da produção

Com predominância da fruticultura, em 2020, a cultura da uva teve uma participação de 67% do VBP, a manga 17%, a goiaba 6%, e as outras culturas participaram com apenas 9% do valor total, como mostra a Figura 2.

De toda a produção obtida no projeto Nilo Coelho o valor comercializado no ano de 2020 foi na ordem de R$ 1,7 bilhões, o qual foi composto pela soma dos valores comercializados das culturas permanentes, representadas pelas diferentes fruteiras e das lavouras temporárias, como as hortaliças e grãos.

Nos últimos cinco anos observa-se que o VBP do projeto se manteve constante, apresentando apenas leves oscilações para mais ou para menos.  Nesse período, a maior variação deu-se no último ano, um aumento de 8% em relação ao ano anterior. Analisando-se a proporcionalidade da geração de receita verifica-se que nesse período as culturas permanentes contribuíram, em média, com 99% e as culturas anuais com apenas 1%. Quanto ao tipo de empreendimento, em 2020, os familiares participaram com 52% e os empresariais 48% do VBP total (Figura 1).

Os principais sistemas de irrigação são microaspersão, aspersão e gotejamento.

Potencialidades

Estima-se a geração de 21.777 empregos diretos, 32.665 empregos indiretos e 7.404 empregos induzidos, com uma produção de 715.882 t de produtos agrícolas e um VBP de R$ 1.767.746.705, em 2020.

Documentos:

Plano Operativo Anual (POA) 2021 - Nilo Coelho (arquivo PDF)