conteúdo

Piloto Formoso

por Antônio Luiz de Oliveira Correa da Silva publicado 31/07/2018 13h14, última modificação 18/02/2021 17h23

Localização: Município de Coribe - BA – Médio São Francisco
Polo de Desenvolvimento: Formoso e Correntina
Área Irrigável: 408 ha
Área Ocupada: 400 ha (320 ha — lotes familiares; 80 ha — lotes empresariais)
Fonte hídrica: Rio Formoso
Vazão outorgada vigente: 11.864.325 m3.ano-1
Investimento até 2019: R$ 4.748.414,03
Dados da infraestrutura: 12 km de canais de irrigação e 1 estação de bombeamento
Início de funcionamento: 1978
Início da cogestão: 1987

O assentamento teve início em 1969 e o manancial utilizado é o rio Formoso, de onde a água é captada por meio de duas estações de bombeamento levando a água por uma adutora e distribuída por gravidade. Os produtores residem no próprio lote, mas o projeto possui núcleo habitacional com escola de ensino fundamental e posto de saúde (CODEVASF, 1999). O projeto possui 39 lotes familiares (320 ha) e um lote empresarial (80 ha) ocupados, totalizando 400 ha irrigáveis.

Produção agrícola

formosinho_ev.jpg

 

Figura 1: Evolução do Valor Bruto de Produção do projeto Formosinho entre os anos 2016 e 2019.
Fonte: Do autor, 2020.

formosinho_pc.jpg
Figura 2: Principais espécies cultivadas no projeto Formosinho, de acordo com o VBP, no ano de 2019.
Fonte: Do autor, 2020.

Características da produção

Há predominância da exploração da banana, seguida da produção de abóbora, melancia, milho e café, sendo que essas últimas quatro representam apenas 1% do VBP (FIGURA 2) e 6% da área cultivada no projeto. A banana é responsável por 99% do VBP do projeto, que apresentava crescimento constante nos últimos anos, conforme Figura 1. No entanto, o VBP de 2018 sofreu uma queda de 20% em relação ao ano anterior, embora não tenha ocorrido redução da área cultivada, fato esse relacionado ao menor preço da tonelada da banana obtida no ano de 2018. Em 2019 os preços voltaram a aumentar e consequentemente o VBP do projeto teve uma recuperação.

O lote empresarial do projeto não havia apresentado produção nos últimos anos, sendo que sua área voltou a ser ocupada e cultivada apenas no último ano. Os produtores têm se modernizado nos últimos anos, novas tecnologias foram adotadas e atualmente o projeto possui altas produtividades para a banana (30 t ha-1), superando até o projeto Formoso (24 t ha-1) nesse item. Esses altos índices de produtividade da banana garantem um VBP de R$ 16,92 milhões, proporcionando uma renda bruta de R$ 41 mil por ha de banana por ano.

Os sistemas de irrigação utilizados são a microaspersão e a aspersão.

Potencialidades

Estima-se a geração de 409 empregos diretos e 614 empregos indiretos, com uma produção de 11.757 t de alimentos em 2019.