conteúdo

Jaíba - Etapa I

por Antônio Luiz de Oliveira Correa da Silva publicado 31/07/2018 13h37, última modificação 03/05/2021 13h49

Localização: Município de Jaíba, Matias Cardoso e Verdelândia - MG – Médio São Francisco
Polo de Desenvolvimento: Norte de Minas Gerais
Área Irrigável: 18.586 ha 
Área Ocupada: 18.586 ha (9.125 ha – lotes familiares; 9.455 ha – lotes empresariais: 5 - outras)
Fonte hídrica: Rio São Francisco
Vazão outorgada vigente: 379.113.948 m3.ano-1
Investimento até 2020: R$  1.443.995.835,94
Dados da infraestrutura: 548 km de canais; 385 km de adutoras; 533 km de estradas; 3 km de drenos; 11 estações de bombeamento
Início de funcionamento: 1975
Início da cogestão: 1988

O surgimento do projeto Jaíba deu-se na década de 1950, quando iniciaram as primeiras ocupações e colonização realizadas pelo antigo Instituto nacional de Irrigação e Colonização (INIC). Mas somente na década de 1960 foram estudadas com mais profundidade as potencialidades agrícolas da região (EMPRESA DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO RURAL DE MINAS GERAIS, 2012).

Os primeiros estudos, realizados pelo Bureau of Reclamation em 1965, identificaram uma área de aproximadamente 230.000 hectares com possibilidade para o aproveitamento agropecuário na região da Mata do Jaíba, mas o projeto final apresentou uma área de 100.000 hectares, dividido em quatro etapas. O projeto entrou em operação em 1980, com o assentamento das primeiras famílias (CODEVASF, 1999; EMPRESA DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO RURAL DE MINAS GERAIS, 2012).

Atualmente estão em operação a Etapa I e a Etapa II, sendo que a Etapa II pertence ao Estado de Minas Gerais.

Produção agrícola

Jaíba_VBP.jpg

Figura 1: Evolução do Valor Bruto de Produção do projeto Jaíba entre os anos 2016 e 2020.
Fonte:  Elaborado com dados da CODEVASF, 2021.

Jaíba_culturas.jpg

Figura 2: Principais espécies cultivadas no projeto Jaíba, de acordo com o VBP, no ano de 2020.
Fonte: Elaborado com dados da CODEVASF, 2021.

Características da Produção

Embora mais da metade da área cultivada seja destinada à fruticultura, o Projeto Jaíba apresenta uma grande diversificação de culturas. Com destaque para a produção de banana, limão e manga, têm-se ainda uma grande produção de batata doce, mandioca, abóbora, cana-de-açúcar, milho e várias outras culturas em menor escala de produção (Figura 2). 

Em 2020, outro grande destaque foi a produção de semente de abóbora, a qual com apenas 190 ha de área cultivada (0,015%), foi responsável por 6% do VBP total do projeto. Vale ressaltar que a produção de sementes certificadas é diferente da produção de grão para o consumo e essa sempre foi uma atividade importante dentro deste projeto, entretanto, esta atividade é dependente da formalização de contrato de fornecimento com as empresas de produção de semente e, por este motivo, o cultivo é sempre variável. Outro fator importante a ser mencionado é que o preço de sementes certificadas é alto, ainda mais dependendo da cultura e do tipo de semente (híbrida, linha pura, transgênica, etc.).  Para se ter ideia, o preço médio da comercialização das sementes certificadas de abóbora variou entre R$ 60.900 e R$ 161.000 a tonelada, dependendo da cultivar produzida. Entretanto a produtividade por hectare é baixa em relação aos grãos e é preciso ter alta tecnologia para sua produção, o que também gera maior custo de produção.

Ao analisar a evolução do VBP observou-se que houve sucessivas quedas no seu valor total. Parte dessa redução no VBP foi reflexo dos baixos volumes de chuva dos últimos anos, impactando no preço e no rendimento médio das principais culturas. Embora não tenha havido nenhuma variação fortemente expressiva em uma cultura específica, a soma das pequenas variações nas culturas em geral resultou em quedas nos valores finais do VBP nos anos 2017 a 2019. Em 2020, embora tenha havido redução nas áreas cultivadas, houve leve aumento nas áreas colhidas e melhora nos preços da banana e do limão, resultando em aumento na produção e no VBP das duas culturas. Já a cultura da manga, teve redução na área, na produção e no preço de comercialização. Como resultado final, o VBP do ano de 2020 se manteve praticamente igual ao ano anterior, com aumento de apenas 1% no seu valor total. Neste ano teve destaque o VBP das culturas permanentes (73%) e dos lotes familiares (55%) (Figura 1).

Os principais sistemas de irrigação utilizados são a microaspersão e a aspersão.

Potencialidades

Estima-se a geração de 12.861 empregos diretos, 19.292 empregos indiretos e 4.373 empregos induzidos, com uma produção de 218.201 t de produtos agrícolas e um VBP de R$ 264.365.592, em 2020.

Documentos:

Plano Operativo Anual (POA) 2021 - Jaíba (arquivo PDF)