Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2021 > Peixes nativos do rio São Francisco são transportados de Minas Gerais para Alagoas em ação da Codevasf
conteúdo

Notícias

Peixes nativos do rio São Francisco são transportados de Minas Gerais para Alagoas em ação da Codevasf

publicado: 12/11/2021 11h10, última modificação: 08/02/2022 18h30

Peixes das espécies matrinxã, piau verdadeiro e pirá foram transportados neste mês do Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura de Três Marias, em Minas Gerais, para o Centro Integrado de Itiúba, em Alagoas. As unidades da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) são responsáveis por, entre outras iniciativas, desenvolver tecnologias de reprodução artificial de espécies nativas da bacia hidrográfica do rio São Francisco.

Transporte de peixesA ação visa à recomposição dos estoques da ictiofauna e à produção sustentável da aquicultura e da pesca. Os peixes foram transportados em caixas de mil litros, com suprimento constante de oxigênio e monitoramento das condições físicas e químicas da água. Após o período de quarentena, os exemplares serão utilizados para reprodução, objetivando a produção de alevinos, os quais serão soltos na bacia hidrográfica em ações de peixamento.

“O transporte de peixes adultos entre as regiões da bacia é imprescindível para manter os estoques necessários de reprodutores e melhorar a variabilidade genética dos alevinos produzidos nos centros integrados da Codevasf”, ressalta o superintendente regional da Companhia em Alagoas, Joãozinho Pereira.

O chefe do Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura de Itiúba, Vinícius Dias Filho, explica que, para a produção de alevinos de espécies nativas é necessária a formação de plantel de reprodutores a partir de exemplares que são capturados na natureza e estocados nos centros integrados.

“Devido aos impactos da ação humana no meio ambiente, algumas espécies (matrinxã e pirá) são consideradas extintas em parte da bacia, pois há décadas não se relatava sua captura no Baixo São Francisco. Porém, após a reintrodução por meio dos peixamentos realizados pelo Centro Integrado de Itiúba, pescadores vêm relatando a captura de exemplares adultos”, afirma.

Centros Integrados de Recursos Pesqueiros e Aquicultura

A Codevasf possui seis Centros Integrados de Recursos Pesqueiros e Aquicultura em sua área de atuação, os quais produzem anualmente, em média, 12,7 milhões de alevinos de espécies de importância econômica e ecológica. Nessas unidades foram desenvolvidas tecnologias de reprodução artificial de espécies de peixes nativas do São Francisco. 

Além do aumento expressivo na produção de alevinos com o uso dessas tecnologias, conseguiu-se reproduzir, de forma inédita, espécies de grande valor comercial, a exemplo do surubim, e espécies ameaçadas de extinção, como o pirá, espécie endêmica e considerado símbolo do rio. A Codevasf também promove cursos e treinamentos para produtores, pescadores artesanais e técnicos de instituições públicas e privadas e publica livros e trabalhos técnico-científicos desenvolvidos em suas unidades.