Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2020 > Cisternas instaladas pela Codevasf beneficiam 500 famílias em comunidades rurais do Maranhão
conteúdo

Notícias

Cisternas instaladas pela Codevasf beneficiam 500 famílias em comunidades rurais do Maranhão

publicado: 28/05/2020 10h52, última modificação: 28/05/2020 10h52

Cisternas no MaranhãoCerca de duas mil pessoas no Maranhão foram beneficiadas pelo governo federal, por meio da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), com a aquisição e instalação de cisternas. São 500 famílias na zona rural dos municípios de Alcântara e Viana que passam a contar com reservatórios de água para consumo humano durante o período de estiagem. Na ação, foram investidos cerca de R$ 4,5 milhões oriundos de emenda parlamentar.

Os 500 dispositivos para acúmulo de água foram instalados na zona rural dos municípios, sendo 450 reservatórios em 50 povoados de Alcântara e 50 cisternas em quatro povoados de Viana. Para Sérgio Costa, diretor da Área de Desenvolvimento Integrado e Infraestrutura da Codevasf, setor responsável pelo contrato de aquisição e instalação das cisternas, “a entrega dos reservatórios configura-se como uma política pública de grande importância, trazendo em sua essência uma forma de convívio com a estiagem de maneira sustentável”.

As cisternas instaladas são de polietileno com capacidade para 16 mil litros. Entre as suas principais características estão a resistência, a facilidade de instalação e a vedação do armazenamento. O abastecimento dos reservatórios ocorre durante os períodos chuvosos: a água da chuva é aparada no telhado do local beneficiado e conduzida, por meio de um sistema de calhas e canos, para o interior do reservatório. Nas localidades de estiagem mais severa, as cisternas podem ser utilizadas para armazenamento com segurança de água provida por caminhões-pipa.

Na avaliação do superintendente regional da Codevasf no Maranhão, Jones Braga, essa ação da Codevasf contribui para melhorar a vida de um grande número de famílias. “Os resultados são positivos porque buscam solucionar o problema de acesso a um bem fundamental à vida. O governo federal tem tido sensibilidade com as populações mais vulneráveis e acreditamos que a instalação de cisternas muda a realidade local. Essa é uma maneira de se promover o desenvolvimento regional, trazendo qualidade de vida às pessoas”, comenta.

Água de qualidade para o consumo

As famílias atendidas com as cisternas já estão utilizando a água armazenada desde o último período chuvoso, iniciado no final do ano passado. Nas comunidades contempladas no município de Alcântara, por exemplo, muitas pessoas já deixaram de utilizar a água de grotões e cacimbas. Na zona rural, é comum o uso da mesma fonte hídrica para várias finalidades, inclusive para consumo humano, o que provoca a ocorrência de doenças por água contaminada.

“Apesar da região ter uma certa abundância de águas superficiais, elas não apresentam qualidade para consumo doméstico e humano. O uso desse produto sem a observação dos procedimentos de segurança sanitária acarreta muitas doenças, como diarreia e verminoses. O projeto das cisternas contribuiu bastante para prevenção desses problemas de saúde”, explica Edilson de Carvalho Lins, presidente do Conselho Comunitário do Comitê de Desenvolvimento Local, do Polo Comunitário de Desenvolvimento Sustentável de Alcântara. Por meio do projeto Nova Alcântara, que atende a povoados da região, o polo foi contemplado com a entrega de 95 cisternas.