Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2019 > Codevasf participa da inauguração da Usina Solar Flutuante de Sobradinho, na Bahia
conteúdo

Notícias

Codevasf participa da inauguração da Usina Solar Flutuante de Sobradinho, na Bahia

publicado: 05/08/2019 18h30, última modificação: 05/08/2019 18h32
Exibir carrossel de imagens Foto: Divulgação/Chesf

O diretor da Área de Desenvolvimento Integrado e Infraestrutura da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), Sérgio Costa, que responde pela Presidência da Codevasf, participou nesta segunda-feira (5) da solenidade de inauguração da primeira etapa da Usina Solar Flutuante do lago de Sobradinho, na Bahia. A cerimônia contou com a presença do presidente da República, Jair Bolsonaro, e dos ministros Bento Albuquerque (Minas e Energia) e Gustavo Canuto (Desenvolvimento Regional), entre outras autoridades.

Solenidade de inauguração da primeira etapa da Usina Solar Flutuante do lago de Sobradinho. Crédito da foto: Divulgação/MMEA Usina Solar Flutuante de Sobradinho é um projeto da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf). O evento de hoje marcou a energização da usina, que tem potência de geração de 1 MWp (megawatt pico). De acordo com a Chesf, o empreendimento é o maior projeto de Pesquisa & Desenvolvimento de tecnologia flutuante instalado em reservatório de hidrelétrica do Brasil.

A segunda etapa do projeto contemplará uma nova usina solar flutuante, também no reservatório de Sobradinho. Ao término da conclusão da segunda etapa, a capacidade instalada será de 2,5 MWp. O investimento nessas duas plantas solares soma R$ 56 milhões.

Os superintendentes regionais da Codevasf Aurivalter Cordeiro (Petrolina/PE) e Elmo Nascimento (Juazeiro/BA) também participaram da solenidade de inauguração.

Energia solar em projeto de irrigação

A Codevasf, por meio da 6ª Superintendência Regional, sediada em Juazeiro (BA), está apoiando a iniciativa do Distrito de Irrigantes do Projeto Público de Irrigação Maniçoba para a instalação de uma usina de produção de energia fotovoltaica de 5 MW. O projeto da usina já está pronto, e a implantação foi orçada em cerca de R$ 24 milhões – a maior parte dos investimentos deve ser financiada pelo do Banco do Nordeste (BNB), por meio do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE).

Sérgio Costa, diretor da Codevasf, Aurivalter Cordeiro e Elmo Nascimento, superintendentes regionais. Crédito: Maxwell Tavares/CodevasfO local onde ficará a usina do projeto de irrigação será repassado pela Codevasf ao distrito e corresponde a uma área de aproximadamente 28 hectares. A usina vai produzir energia suficiente para atender todo o projeto Maniçoba. A energia fotovoltaica não será aplicada diretamente no projeto de irrigação, ela será repassada à concessionária e inserida na rede pública. Isso vai gerar um crédito em kW (quilowatt), a ser usado posteriormente pelo distrito em escritórios, oficinas e estações de bombeamento.

“O governo federal tem incentivado outros tipos de matriz energética. A energia fotovoltaica vai permitir o uso de outras fontes, além da energia hidrelétrica que já é usada nos projetos públicos de irrigação da Codevasf. Isso vai permitir diminuir os custos com energia e melhorar a eficiência dos projetos de irrigação”, afirma o diretor Sérgio Costa, que responde pela Presidência da Codevasf.

*Com informações do Ministério de Minas e Energia e da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf)