Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2019 > Codevasf apoia associações de piscicultores no lago de Sobradinho
conteúdo

Notícias

Codevasf apoia associações de piscicultores no lago de Sobradinho

publicado: 30/08/2019 11h02, última modificação: 30/08/2019 11h05

SobradinhoA Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) apoia diversas associações de piscicultores no lago da barragem de Sobradinho, no Norte da Bahia. Neste ano, a empresa deverá investir mais de R$ 1 milhão no desenvolvimento da piscicultura na região, oriundos do orçamento da Companhia e do Orçamento Geral da União, repassados à empresa por meio de emenda parlamentar. Na região, existem cerca de 11 associações de piscicultores e aproximadamente 14 produtores independentes, sendo parte desses localizados nas cidades de Sento Sé e Casa Nova.

Segundo o superintendente regional da Codevasf em Juazeiro, Elmo Nascimento, “estima-se que os investimentos do governo federal em ações de estruturação e apoio a essa atividade produtiva, em Sobradinho, geraram cerca de 150 empregos diretos e mais de 600 indiretos, e isso é muito bom não só para a cidade, como também para toda a Bahia”.

A Companhia já investiu mais de R$ 1,3 milhão na estruturação e fomento da atividade, beneficiando piscicultores de Sobradinho, Casa Nova e Sento Sé. O incentivo envolveu doação de ração, construção e entrega de dois depósitos de aproximadamente 800 m² para armazenamento dos insumos, treinamento e acompanhamento técnico periódico de engenheiros de pesca da Codevasf.

Atuação reconhecida

O trabalho realizado pela Companhia na área de piscicultura no lago de Sobradinho é reconhecido pelos beneficiários. O projeto para implantação da atividade em tanques-rede na região foi apresentado pela Codevasf aos pescadores em 2005. A iniciativa foi bem recebida pelas comunidades do entorno do lago, nos municípios de Sobradinho, Casa Nova e Sento Sé. Após várias reuniões com representantes da Codevasf em Juazeiro, foram formadas juridicamente as associações, repassados os conhecimentos técnicos e doados tanques rede e ração para o início da atividade.

A piscicultora Edivane Limoeiro destaca a importância da Codevasf: “Foi a empresa que fez tudo aqui, e hoje nós devemos tudo isso a ela”, comemora a ex-diarista da fruticultura irrigada, uma das mulheres que fundou, ao lado da dona de casa Albaneide dos Santos e outras mulheres, a Associação dos Criadores de Peixes de Sobradinho (Acripeixess), localizada no entorno do lago de Sobradinho.

Juntamente com outros integrantes da Acripeixess, Edivane Limoneiro recebeu da Codevasf tanques-rede e ração para iniciar a criação de peixes. Ela conta que, no início, teve receio de trabalhar em uma atividade que não conhecia. Deixou o emprego no comércio local para se dedicar à piscicultura e, em pouco tempo, começou a obter bons resultados. Albaneide dos Santos acompanhou Edivane neste projeto. Atualmente, a maior parte de sua renda vem do rio. Ela conta que já dobrou a quantidade de tanques-rede.

Apesar de ter sido criada por mulheres, a Acripeixess também reúne homens que antes praticavam a pesca artesanal. Muitos deles, como o ex-garçom Jocecino José dos Santos, têm a piscicultura como principal atividade econômica. Ele já conta com a ajuda do filho para manter o empreendimento funcionando. Começou com 12 tanques-rede e hoje são mais de 55.

Segundo os piscicultores familiares, a produção chega, em média, a 80 toneladas de peixe por ano, gerando uma renda mensal de até dois salários mínimos. Grande parte do que é produzido é vendida “in natura” nos mercados regionais e para as cidades de Petrolina (PE) e os municípios baianos de Juazeiro e Senhor do Bonfim, além da capital Salvador. A tilápia é o foco da produção, que já pode ser comercializada após o período de seis a doze meses de criação.