Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2007 > Redução do impacto ambiental da fibra de coco em Sergipe
conteúdo

Notícias

Redução do impacto ambiental da fibra de coco em Sergipe

A Superintendência Regional da Codevasf em Sergipe, por meio do programa de Arranjos Produtivos Locais, tem contribuído de forma decisiva para redução do impacto ambiental causado pelo resíduo do coco, produzido em excesso na região do município de Pirambu. A iniciativa conta com a parceria do Instituto San Rafael, uma OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) que atua no povoado de Lagoa Redonda
publicado: 30/08/2010 10h44, última modificação: 20/06/2018 17h09

A Superintendência Regional da Codevasf em Sergipe, por meio do programa de Arranjos Produtivos Locais, tem contribuído de forma decisiva para redução do impacto ambiental causado pelo resíduo do coco, produzido em excesso na região do município de Pirambu. A iniciativa conta com a parceria do Instituto San Rafael, uma OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) que atua no povoado de Lagoa Redonda. 

Com apoio técnico e financeiro da Codevasf, hoje os resíduos são reaproveitados por meio de processamento e transformados em vasos para plantas ornamentais, placas para utilização em paisagismo e biojoias. Também é usado como composto para agricultura. O pó da casca de coco é utilizado como substrato agrícola, por apresentar uma estrutura de alta porosidade, bem como capacidade de retenção de umidade. Por ser extremamente biodegradável, o material é indicado no processo de germinação de sementes.

Antes do seu reaproveitamento, os resíduos eram lançados diretamente no meio-ambiente, levando um longo período para sua biodegradação. Eram conduzidos pelas águas da chuva até rios e córregos ou muitas das vezes queimados, provocando aumento de gás carbônico na atmosfera. 

De acordo com a Jucelia Santos, presidente do Instituto San Rafael, “a Codevasf tem dispensado um grande apoio a essa ação, trazendo benefícios sócio-econômico e ambiental para a comunidade”.