Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2007 > Produtores sergipanos apostam no programa “Balde Cheio”
conteúdo

Notícias

Produtores sergipanos apostam no programa “Balde Cheio”

Produtores dos perímetros irrigados de Propriá, Cotinguiba/Pindoba e Betume estão determinados a implantar em suas propriedades o programa de produção de leite “Balde Cheio”. Os irrigantes tomaram conhecimento da iniciativa em reunião com superintendente regional da Codevasf em Aracaju, Paulo Viana, na cidade de Propriá (SE).
publicado: 24/03/2011 11h02, última modificação: 20/06/2018 17h10

Produtores dos perímetros irrigados de Propriá, Cotinguiba/Pindoba e Betume estão determinados a implantar em suas propriedades o programa de produção de leite “Balde Cheio”. Os irrigantes tomaram conhecimento da iniciativa em reunião com superintendente regional da Codevasf em Aracaju, Paulo Viana, na cidade de Propriá (SE). O programa visa promover o desenvolvimento sustentável da pecuária leiteira na região via transferência de tecnologia, viabilizando economicamente as pequenas unidade produtoras de leite, reduzindo custos e elevando a produtividade por área e animal.

Como parte dos encaminhamentos da reunião, a equipe de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER), que atua nos referidos Perímetros Irrigados, selecionou produtores interessados e promoveu visita técnica ao Perímetro Irrigado de Jabeberi, localizado no município de Tobias Barreto (SE), onde o programa já está consolidado.

Para Paulo Viana, o Programa já é sucesso em outras regiões do estado de Sergipe, onde foi implementado quando da sua gestão na Secretaria de Estado da Agricultura. “Agora, aproveitando esta experiência exitosa, vamos implantar também nos nossos Perímetros Irrigados, visando principalmente à diversificação da produção com atividades que proporcionem ao produtor melhoria na sua qualidade de vida”, conclui.


AUMENTO DA PRODUTIVIDADE

Atualmente, os produtores de leite dos perímetros irrigados de Propriá, Cotinguiba/Pindoba e Betume produzem apenas para o consumo familiar e alguns poucos comercializam o excedente para compradores da redondeza. O manejo do gado é feito de maneira totalmente precária, de forma extensiva, contribuindo para reduzir a produtividade do rebanho. A alimentação acontece em pastagens nativas e sem qualidade nutricional, com isso a produtividade média é de cerca de 4 litros/vaca/dia.

Com a implementação do programa, novas técnicas de produção serão implementadas, como forrageiras cultivadas em áreas pré-determinadas e irrigadas, pastejo rotacionado, construção de reservatórios de água e de área de sombreamento, criação de corredores de circulação, introdução de animais de adequada qualidade genética e da inseminação artificial. Outro ponto fundamental para o sucesso do Programa é o acompanhamento efetivo da assistência técnica em todas as etapas do processo.

Os resultados esperados com a implementação do Programa é o aumento da produtividade média para 15 litros/vaca/dia, em duas ordenhas, proporcionando assim melhorias significativas na renda familiar.

A metodologia do “Balde Cheio” consiste em transformar uma propriedade leiteira de cunho familiar em “sala de aula prática”, denominada UD (Unidade de Demonstração). No local, o conhecimento de todos os envolvidos é atualizado. A partir da implantação do Programa a UD passa a ser uma referência na região, permitindo que outros produtores acompanhem o trabalho de viabilização da produção de leite sob os aspectos técnico, econômico social e ambiental.