Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2007 > Produtores recebem selo de qualidade
conteúdo

Notícias

Produtores recebem selo de qualidade

O Grupo Produção Orgânica Vale do São Francisco vai receber 32 selos de qualidade na próxima quinta-feira, 24, durante a Feira Nacional da Agricultura Irrigada (Fenagri). Para a obtenção do certificado e do selo de qualidade, todos os produtores que queiram fazer parte do grupo, devem ser cadastrados no Conselho de Segurança da Agricultura Orgânica (Consea) e na Codevasf.
publicado: 22/05/2012 16h24, última modificação: 20/06/2018 17h12

O Grupo Produção Orgânica Vale do São Francisco vai receber 32 selos de qualidade na próxima quinta-feira, 24, durante a Feira Nacional da Agricultura Irrigada (Fenagri). Para a obtenção do certificado e do selo de qualidade, todos os produtores que queiram fazer parte do grupo, devem ser cadastrados no Conselho de Segurança da Agricultura Orgânica (Consea) e na Codevasf.

Após o cadastro, os lotes e hortas são supervisionados pela Codevasf e auditados pelo instituto certificador Chão Vivo, que tem atuação em todo o território nacional, orientando suas atividades para a certificação orgânica de produtos in natura, semi-elaborados ou industrializados, de acordo com a legislação ambiental e de produção de alimentos.

O Grupo é referência em sua atividade. Iniciado em 2010, após a implantação do Consea na região, em parceria com o Ministério Público de Meio Ambiente de Petrolina e a Codevasf, criou em 2011 o seu primeiro ponto de venda, na feira do bairro Areia Branca. Segundo o engenheiro da Codevasf e presidente do Consea regional, Osnan Ferreira, o grupo tem tido grande aceitação do Público. “Em Petrolina estamos com o projeto de inaugurar, nos próximos dois meses, mais três bancas nas feitas do Ouro Preto, Cohab Massangano e João de Deus, além de também montarmos um pequena central de distribuição para disponibilizarmos os nossos produtos para as grandes redes de supermercados e quitandas da região”, conta.

Osnan Ferreira acrescenta que para se chegar a esse estágio, foi necessária muita luta. “Nós começamos com isso em 2006. Era necessário incutir na cabeça dos técnicos, dos produtores o fato de que era possível se produzir produto orgânico, que valia a pena. Encontramos dificuldades no inicio mas persistimos. Hoje os frutos começam a ser colhidos, mas ainda há muito o que se trabalhar, o potencial é enorme e nós acreditamos nesse trabalho”, afirma Osnan.

São inúmeras as vantagens desses produtos. Além de serem alimentos saudáveis, também preservam a saúde do produtor rural e do meio ambiente, já que são cultivados sem uso de agrotóxicos e fertilizantes químicos.