Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2007 > Produtores já estão trabalhando no Salitre
conteúdo

Notícias

Produtores já estão trabalhando no Salitre

Os primeiros agricultores contemplados na etapa inicial de implantação do Projeto Salitre já estão trabalhando em seus lotes. Alguns já estão há mais de três meses na área, preparando a terra para o cultivo
publicado: 03/08/2010 09h57, última modificação: 20/06/2018 17h09

Os primeiros agricultores contemplados na etapa inicial de implantação do Projeto Salitre já estão trabalhando em seus lotes. Alguns já estão há mais de três meses na área, preparando a terra para o cultivo.

Um deles é o filho de agricultor, natural da região do Salitre, José dos Santos Ribeiro, 52 anos. Ele está otimista com sua propriedade de 6,3 ha. Com recursos próprios já preparou a terra e pretende irrigar por gotejamento uma área de 3 ha onde vai plantar manga, tomate e cebola. O agricultor pretende ainda “plantar uma área de 2,7 ha com maracujá, melão e pimentão, além de fazer um quebra-vento com coco, em parte da área”.

Sobre a aquisição do lote, José Ribeiro afirma que “demorou um pouco a papelada, mas nós nunca deixamos de confiar que desse certo. Agora que estou aqui é só trabalhar. Já estou construindo nossa casinha e não pretendo mais sair daqui”. Quando o assunto é comercialização, o produtor é enfático. “Já encomendei minhas mudas certificadas no viveiro da UNEB (Universidade do Estado da Bahia) e quero produzir para exportação”.

No lote vizinho, que pertence ao agricultor João Carlos, os trabalhadores já semearam 1,5 ha de melão e, em aproximadamente, 90 dias as primeiras frutas já serão colhidas. Além disso, 7,9 ha serão semeados com manga, banana e maracujá nos próximos meses. O sistema de irrigação por gotejamento já está funcionando e a propriedade possui uma moradia para os trabalhadores rurais.

Caso semelhante é o do agricultor Orlando Carlos Pereira, que possui um lote com 11 ha, sendo parte dele em área de sequeiro, onde o solo possui características diferenciadas. Ele já construiu duas casas para as famílias dos trabalhadores e dois galpões para armazenar implementos e insumos agrícolas. Neste lote, segundo os trabalhadores, serão plantados principalmente manga e maracujá.


IMPLANTAÇÃO EM RITMO NORMAL

Segundo a superintendente regional da Codevasf em Juazeiro, Ana Angélica Almeida Lima, “até agora 69 lotes foram regularizados. Além disso, toda a documentação de 48 lotes de pequenos produtores e 8 lotes empresariais já foi encaminhada ao INCRA para regularização. Pretendemos em até 90 dias encaminhar o restante da documentação dos demais lotes”.

A superintendente acrescenta que “temos procurado atender a todas as exigências legais no sentido de entregar o quanto antes a titulação definitiva dos 255 lotes dessa primeira etapa. Somos constantemente fiscalizados e procuramos cumprir com todas as determinações para que a implantação do Salitre não sofra paralisações”.

Um escritório de fiscalização e atendimento foi montado no canteiro de obras do Perímetro com o objetivo de orientar os produtores contemplados na primeira etapa sobre o andamento dos processos.

O Projeto Salitre compreende cinco etapas de implantação, que abrange aproximadamente 31.305 ha de área irrigada. A expectativa é que haja a geração de 30 mil empregos diretos e 60 mil indiretos. Espera-se que mais de 180 mil pessoas sejam beneficiadas com a implantação do Salitre, que deverá ser o maior perímetro irrigado da região do vale do São Francisco.