Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2007 > Novos lotes no Jaíba
conteúdo

Notícias

Novos lotes no Jaíba

A Codevasf promove na próxima terça-feira, 13, na sede regional de Montes Claros (MG), a assinatura de escrituras de 122 lotes agrícolas do Perímetro de Irrigação Jaíba
publicado: 07/11/2007 14h16, última modificação: 20/06/2018 17h08


A Codevasf promove na próxima terça-feira, 13, na sede regional de Montes Claros (MG), a assinatura de escrituras de 122 lotes agrícolas, localizados na  área C-2, do Perímetro de Irrigação Jaíba. São 3.200 hectares, sendo 2.907 irrigáveis, que somados à área já em produção, totalizam mais de 8.640 hectares.

Para o superintendente da Codevasf em Minas Gerais, Anderson Chaves, a inclusão de novas áreas irrigáveis permite a geração de mais de nove mil empregos diretos e indiretos. “Essa ação só será possível graças ao empenho do ministro da  Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, e do  presidente da  Codevasf, Orlando Cezar da Costa Castro, que, em consonância com as ações do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, de apoio social e desenvolvimento econômico ao produtor rural, têm envidado todos os esforços para incrementar o desenvolvimento e a expansão agrícola no vale do rio São Francisco, principalmente, nos perímetros de irrigação da  Codevasf”, declara.

Segundo técnicos da Companhia, que acompanharam todo o processo de licitação pública para venda dessa área, os 11 empresários que tomarão posse dos lotes na próxima semana são dos setores agropecuário e agroindustrial, o que deve fortalecer ainda mais a produção do perímetro de irrigação. Os lotes serão entregues com toda a infra-estrutura de uso comum em perfeitas condições de uso.

A Codevasf comemora ainda a instalação de grandes agroindústrias na região. Entre as empresas que assinarão a escritura, está a Pomar Brasil Agroindustrial, que já estava no perímetro Jaíba com 800 hectares irrigados de frutas tropicais, mas agora irá agregar mais 1.200 hectares. Com isso, a empresa parte para a produção em larga escala, além de poder adquirir toda a produção dos pequenos irrigantes e criar uma indústria para processamento de polpas de goiaba, manga, maracujá e outras frutas.