Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2007 > Nordeste receberá certificadora orgânica
conteúdo

Notícias

Nordeste receberá certificadora orgânica

“Em breve o Nordeste vai receber oficialmente sua primeira certificadora de produtos orgânicos do Brasil”. A notícia foi dada pelo presidente do Conselho da Segurança Alimentar Orgânica (Consea Orgânico), Osnan Soares, durante um workshop sobre produção orgânica realizado em Petrolina (PE), nessa segunda-feira (23).
publicado: 24/05/2011 09h04, última modificação: 20/06/2018 17h10

“Em breve o Nordeste vai receber oficialmente sua primeira certificadora de produtos orgânicos do Brasil”. A notícia foi dada pelo presidente do Conselho da Segurança Alimentar Orgânica (Consea Orgânico), Osnan Soares, durante um workshop sobre produção orgânica realizado em Petrolina (PE), nessa segunda-feira (23).

O credenciamento deve ser oficializado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) até o mês de julho. A partir disso, o Conselho será responsável pela emissão do selo de produto orgânico para os agricultores nordestinos.

Segundo dados do MAPA, o Nordeste responde por apenas 13% da produção orgânica nacional. Esse baixo percentual deve-se, na opinião de Osnan Soares, à ausência de uma certificadora autorizada pelo ministério na região.

Contudo, nos perímetros públicos da Codevasf em Pernambuco a produção de alimentos nos moldes orgânicos vem crescendo. Hoje, 83 produtores, acompanhados por técnicos da Codevasf, são orientados a produzir frutas e hortaliças livres de agrotóxicos. De acordo com o presidente do Consea, que também é funcionário da Companhia, são cerca de 520 hectares irrigados plantando e colhendo sob as diretrizes orgânicas aprovadas pelo MAPA.

O workshop dos setores de alimentos, frutas e produção orgânica no Brasil consistiu em uma das atividades de apoio à internacionalização realizadas por meio do Projeto de Apoio à Inserção Internacional de Pequenas e Médias Empresas (PAIIPME), executado pela Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e cofinanciado pela União Europeia.