Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2007 > MI investirá R$ 13 milhões para revitalização do acesso ao Parnacanastra
conteúdo

Notícias

MI investirá R$ 13 milhões para revitalização do acesso ao Parnacanastra

O Ministério da Integração Nacional, por meio da Codevasf, irá investir recursos da ordem de R$ 13 milhões para revitalização de estradas internas do Parque Nacional da Serra da Canastra (Parnacanastra), em São Roque de Minas (MG), onde se encontram as nascentes históricas do rio São Francisco. A autorização para abertura de procedimento licitatório para execução das obras foi assinada na última sexta-feira (09), durante visita técnica do ministro Fernando Bezerra Coelho e dirigentes da Codevasf à região.
publicado: 12/09/2011 10h40, última modificação: 20/06/2018 17h11

O Ministério da Integração Nacional, por meio da Codevasf, irá investir recursos da ordem de R$ 13 milhões para revitalização de estradas internas do Parque Nacional da Serra da Canastra (Parnacanastra), em São Roque de Minas (MG), onde se encontram as nascentes históricas do rio São Francisco. A autorização para abertura de procedimento licitatório para execução das obras foi assinada na última sexta-feira (09), durante visita técnica do ministro Fernando Bezerra Coelho e dirigentes da Codevasf à região.

Os investimentos irão impulsionar o turismo ecológico no local, melhorando as condições de tráfego no Parque. O projeto básico consiste na execução de estudos e a proposição de soluções viárias, visando corrigir as deficiências existentes nos trechos avaliados, envolvendo traçado, solução geotécnica e geológica, projetos de terraplanagem, drenagem, obras de arte correntes, preservação do meio ambiente e segurança viária. Numa extensão de 190,85 km, serão 176,73 km de revestimento primário, 6,0 km em calçamento tipo bloquete e 8,12 km de acessos exclusivos para pedestres.

“É importante o investimento na preservação do local para as gerações futuras. A nossa vinda à região marca o nosso compromisso com a orientação da presidenta Dilma Rousseff em priorizar a defesa da sustentabilidade da preservação ambiental. Com essa obra, estamos dando sequência às demandas em relação ao Parnacanastra na implantação das estradas de acesso ao local, o que irá facilitar a visitação dos turistas e impulsionar essa atividade econômica”, ressaltou Fernando Bezerra Coelho durante a solenidade de assinatura da autorização para o processo licitatório. Na oportunidade, o procurador geral de Justiça de Minas Gerais, Alceu Torrres, entregou ao ministro placa comemorativa de dez anos de atuação da Defensoria Pública do Rio São Francisco.

O evento contou com a presença do presidente em exercício da Codevasf, Clementino Coelho; diretor da Área de Revitalização de Bacias Hidrográficas, Guilherme Almeida; prefeito de São Roque de Minas, Nilzo de Faria; superintendente da Codevasf em Minas Gerais, Dimas Rodrigues; coordenador do Programa de Revitalização de Bacias Hidrográficas de Minas Gerais, Aluísio Fantini; presidente do Comitê de Bacias Hidrográficas do Rio São Francisco, Geraldo dos Santos; entre outras autoridades.


VISITA TÉCNICA AO PARNACANASTRA

Antes da assinatura da autorização para o processo licitatório das obras, o ministro e sua comitiva realizaram visita técnica ao Parnacanastra. No Centro de Visitantes, o grupo recebeu informações sobre o local por técnicos do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio)/Ministério do Meio Ambiente, e, em seguida, conheceu de perto as nascentes históricas do Velho Chico. Durante a visita, o ministro fez o plantio simbólico de mudas do bioma natural, como aroeira vermelha, aroeira salsa e acoita-cavalo.

O Parque Nacional da Serra da Canastra foi criado por Decreto Federal, em 1972, com o intuito de recuperar, proteger e preservar uma área total de 200 mil hectares, onde são abrigadas as primeiras nascentes do Rio São Francisco. Na parte alta do Parnacanastra, em Minas Gerais, o pequeno "Chico" percorre o primeiro trecho de um longo percurso. Depois de despencar na Casca Danta, atravessa a Bahia, o qual faz divisa ao norte com Pernambuco, e constitui divisa natural entre Sergipe e Alagoas. Desagua no Oceano Atlântico; percorre mais ou menos 2.830 quilômetros.

A região apresenta flora com espécies endêmicas (só nascem e proliferam naquele habitat) e espécimes da fauna consideradas em extinção, caso do tatu-canastra, do lobo-guará, do tamanduá-bandeira e do pato-mergulhão.

De acordo com dados e mapas do IBGE, a área total do Parnacanastra situa-se na região oeste (São Roque de Minas e Vargem Bonita) e região sul/sudoeste (Sacramento, Capitólio, Delfinópolis, São João Batista do Glória) de Minas Gerais. A maior parte da atual área de proteção ambiental (71 mil hectares), cerca de 70%, se encontra dentro do município de São Roque de Minas.

Com informações do site: www.folhadacanastra.com.br