Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2007 > Mais Irrigação em Minas Gerais: Codevasf investe R$ 394 milhões
conteúdo

Notícias

Mais Irrigação em Minas Gerais: Codevasf investe R$ 394 milhões

A irrigação de perímetros públicos recebe R$ 394 milhões do programa Mais Irrigação em Minas Gerais. Os recursos do governo federal serão investidos pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) para gerar emprego, desenvolvimento e produção de alimentos nas regiões dos projetos Jaíba - Etapa I, Jequitaí e Gorutuba.
publicado: 28/12/2012 12h00, última modificação: 20/06/2018 17h15

A irrigação de perímetros públicos recebe R$ 394 milhões do programa Mais Irrigação em Minas Gerais. Os recursos do governo federal serão investidos pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) para gerar emprego, desenvolvimento e produção de alimentos nas regiões dos projetos Jaíba - Etapa I, Jequitaí e Gorutuba.

Os três projetos de Minas Gerais incluídos no programa ocupam 48 mil hectares. Os agricultores beneficiados estão nos municípios de Jaíba, Matias Cardoso e Verdelândia (Projeto Jaíba); Claro dos Poções, Engenheiro Navarro, Francisco Dumont, Jequitaí, Lagoa dos Patos e Várzea da Palma (Projeto Jequitaí); e Nova Porteirinha (Projeto Gorutuba).

“Com o programa Mais Irrigação nós poderemos alavancar e modernizar nossos projetos, além de implementar novos projetos de irrigação. Com isso poderemos aumentar muito a produtividade desses perímetros e, de alguma forma, contribuir para diminuir a desigualdade desse país”, afirma o presidente da Codevasf, Elmo Vaz.

“O Mais Irrigação é de extrema importância para Minas Gerais, especialmente para a região norte do estado. Os projetos atendidos estão perto de grandes centros, e isso vai ser importante para a fruticultura, a piscicultura e até para o turismo”, diz o secretário estadual de Desenvolvimento dos Vales Jequitinhonha e Mucuri e do Norte de Minas, Gil Pereira.

O programa, formatado e coordenado pelo Ministério da Integração Nacional, prevê investimento total de R$ 10 bilhões, entre recursos públicos e privados, em 538 mil hectares. Além de Minas Gerais, são 15 estados participantes: Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Roraima, Sergipe e Tocantins.

Dividido em quatro eixos de investimentos, o Mais Irrigação valoriza o agricultor familiar e busca desenvolver de forma sustentável a economia regional. Em Minas Gerais, os eixos atendidos são os de Parcerias Público-Privadas em Irrigação (eixo 1) e Implantação e Revitalização (eixo 2).

“Isso é tudo para Minas Gerais. Isso é tudo para o Brasil. Porque é uma região de terras boas, terras de primeira qualidade onde vamos ter uma grande produção”, enfatiza o superintende regional da Codevasf em Minas Gerais, Aldimar Dimas Rodrigues.

O projeto Jaíba - Etapa I participa do eixo 1 e recebe R$ 30,9 milhões da Codevasf para os 24,7 mil hectares participantes do programa. Este eixo de investimento propõe um novo modelo de exploração, que une poder público e iniciativa privada, para atrair investimentos privados por meio de concessões da ocupação agrícola, do investimento em infraestrutura de irrigação e da operação. Com novo modelo de exploração de perímetros irrigados, o programa pretende dinamizar o desenvolvimento regional, promover o uso sustentável dos recursos de água e solo, e gerar emprego e renda.

“A revitalização do projeto vai trazer novos investimentos e melhoria na qualidade da fruta porque vai melhorar estradas, canais etc. Isso vai propiciar o aumento da venda dos produtos – com um mercado melhor para produtos de maior qualidade – e a maior confiança dos investidores”, afirma César Beline, produtor de limão no Projeto Jaíba. Beline diz ainda que o Mais Irrigação atende ao anseios dos produtores. “A Codevasf está dando uma resposta à altura da necessidade do Projeto”.

“O governo fundamentalmente entra com a execução e a construção da infraestrutura dos projetos de irrigação, que são os canais, as estações elevatórias, as subestações de energia, desapropriação de terras. Já a inciativa privada entra com a infraestrutura na fazenda, a infraestrutura on farm”, esclarece o presidente da Codevasf.

Elmo Vaz destaca a participação da agricultura familiar e dos pequenos irrigantes no Mais Irrigação. “O programa garante que no mínimo 25% da áreas irrigadas para estes novos projetos, para esta nova modelagem da irrigação com a participação da iniciativa privada, terão integração com o pequeno agricultor, as cooperativas e os pequenos irrigantes”, comenta.

No eixo 2, de implantação e revitalização, a Codevasf investe R$ 363,1 milhões – o maior aporte de recursos públicos em Minas Gerais. Com a modernização de projetos existentes, o Mais Irrigação busca gerar o aumento da eficiência e a maior e melhor ocupação das áreas irrigadas. Os projetos atendidos são os de Jequitaí, com 18 mil hectares, e Gorutuba, 5,2 mil hectares. “A revitalização desses projetos vai aumentar a produção e tornar o preço mais competitivo no Brasil e na Europa, onde nossas frutas têm grande receptividade”, destaca o secretário de Desenvolvimento dos Vales Jequitinhonha e Mucuri e do Norte de Minas.

Os eixos de investimento do Mais Irrigação, ao combaterem os efeitos da estiagem, visam aperfeiçoar a ocupação agrícola e a gestão da infraestrutura dos perímetros irrigados do país. Os projetos envolvidos no programa têm como vocação a produção de biocombustíveis, fruticultura, produção de leite, carne e grãos.

“A Codevasf tem trazido grandes soluções para o norte de Minas Gerais. Por meio dela temos esses projetos muito importantes. A Companhia está cada vez mais trabalhando para o povo de Minas Gerais”, diz o superintende regional da Codevasf.


O programa Mais Irrigação

Lançado em novembro de 2012 pela presidenta Dilma Rousseff, o Mais Irrigação prevê investimento de R$ 10 bilhões – R$ 3 bilhões em recursos públicos, por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), e R$ 7 bilhões em recursos privados. O programa – executado pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), Secretaria Nacional de Irrigação (Senir) e pelo Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS) – atende 66 projetos em 16 estados.

A Codevasf, empresa pública vinculada ao Ministério da Integração Nacional, é responsável por 32 projetos em sete estados: Alagoas, Bahia, Maranhão, Minas Gerais, Pernambuco, Piauí e Sergipe. O valor investido pela Companhia nesses projetos ultrapassa R$ 1,6 bilhão, o que representa mais de 50% dos recursos públicos do Mais Irrigação. Dos 538 mil hectares do programa, 350 mil ha (65%) estão sob responsabilidade da Codevasf.

O Mais Irrigação inclui o pequeno e o médio agricultor na cadeia produtiva, garantindo mercado, assistência técnica e preço justo. Além de apoiar a agricultura familiar e os pequenos irrigantes, os resultados a serem alcançados pelo programa estão os de maximizar a ocupação e aumentar a produtividade das áreas irrigadas; fazer uso da água de forma eficiente e sustentável; e estabelecer parcerias com o setor privado.