Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2007 > Investimentos na hidrovia do São Francisco
conteúdo

Notícias

Investimentos na hidrovia do São Francisco

Durante o seminário sobre a hidrovia do São Francisco, realizado pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ), foram anunciados investimentos de R$ 100 milhões do Plano de Aceleração do Crescimento para a melhoria das condições de navegabilidade
publicado: 19/04/2007 12h00, última modificação: 20/06/2018 17h07


Durante o seminário sobre a hidrovia do São Francisco, realizado pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ) esta semana, em Brasília, foram anunciados investimentos de R$ 100 milhões do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC) para a melhoria das condições de navegabilidade da hidrovia do São Francisco. De acordo com o diretor da área de revitalização das bacias hidrográficas da Codevasf, Jonas Paulo Neres, a proposta é viabilizar o trecho atualmente em operação, ligando Ibotirama a Petrolina/Juazeiro, com 604 km de extensão. Segundo ele, a desobstrução de pontos críticos nesse trecho permitirá o transporte de cinco mil toneladas por comboio, com um calado entre 1,8 e 2 m. Os objetivos do seminário foram discutir o estágio das intervenções na hidrovia e analisar a sua importância estratégica como corredor modal.

Até o início de maio a recuperação do trecho mais crítico, localizado na região de Pau Darco (BA), deverá ser iniciada. No local foi montado um campo de provas para testar a engenharia que será utilizada na revitalização. O sistema, baseado em biotecnologia (aproveitamento de material nativo da região), prevê obras de contenção de margens, disciplinamento do curso fluvial e reflorestamento ciliar, entre outros.

A região já recebeu R$ 30 milhões por meio de uma parceria entre a Codevasf e a Chesf (Companhia Hidro Elétrica do São Francisco) para a realização de estudos de batimetria, cadastramento da situação das margens, análise dos pontos críticos de navegação, cartas de navegação, recuperação da embarcação fluviográfica Velho Théo. Além disso, a primeira parcela do convênio assinado com a Fundação de Estudos e Pesquisas Aquáticas (Fundespa) também já foi liberada para ser empregada na região. 

O encontro reuniu representantes da Codevasf, da Secretaria de Planejamento do Governo da Bahia, da assessoria especial do Ministério da Integração Nacional, do Ministério dos Transportes, da Administração da Hidrovia do São Francisco (AHSFRA), entre outras instituições.