Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2007 > Delegação de Moçambique conhecerá experiência brasileira em irrigação
conteúdo

Notícias

Delegação de Moçambique conhecerá experiência brasileira em irrigação

A experiência brasileira na área de irrigação tem despertado interesse internacional. No período de 28 de junho a 05 de julho, dois representantes de Moçambique farão uma visita ao Brasil com o objetivo de coletar informações para auxiliar na estruturação do Instituto Nacional de Irrigação (INIR). O órgão será responsável pela coordenação e promoção do desenvolvimento de atividades de irrigação naquele país africano. A visita será coordenada pela Secretaria Nacional de Irrigação (Senir) do Ministério da Integração Nacional e pela Codevasf.
publicado: 28/06/2012 11h55, última modificação: 20/06/2018 17h13

A experiência brasileira na área de irrigação tem despertado interesse internacional. No período de 28 de junho a 05 de julho, dois representantes de Moçambique farão uma visita ao Brasil com o objetivo de coletar informações para auxiliar na estruturação do Instituto Nacional de Irrigação (INIR). O órgão será responsável pela coordenação e promoção do desenvolvimento de atividades de irrigação naquele país africano. A visita será coordenada pela Secretaria Nacional de Irrigação (Senir) do Ministério da Integração Nacional e pela Codevasf.

Nesta quinta-feira (28/06), das 14h às 18h, haverá atividades no âmbito da Senir. O órgão fará uma explanação, no auditório da Codevasf em Brasília, a respeito das principais ações do governo federal em irrigação. Na sexta-feira (29/06), a Companhia dará continuidade à programação em sua sede. Durante todo o dia, haverá apresentações de cada uma das Áreas da empresa: de Gestão dos Empreendimentos de Irrigação; de Desenvolvimento Integrado e Infraestrutura e de Revitalização das Bacias Hidrográficas. O presidente Elmo Vaz fará a abertura dos trabalhos.

Na próxima segunda-feira (02/07), a delegação de Moçambique irá conhecer o Perímetro de Irrigação de Itiúba, localizado em Porto Real do Colégio (AL), no Baixo São Francisco. Com 227 lotes familiares distribuídos em 894 hectares de área irrigável, o perímetro alagoano tem como principais culturas o arroz e a cana-de-açúcar.

O perímetro de irrigação Senador Nilo Coelho, situado entre os municípios de Casa Nova (BA) e Petrolina (PE), será outro ponto visitado pelo grupo, na próxima quarta-feira (04/07). Com quase 19 mil hectares de área irrigável, o perímetro é conhecido, no cenário internacional, pelo cultivo de uvas. Para se ter ideia, de acordo com o Instituto do Vinho Vale do São Francisco, atualmente seis empresas estão instaladas no Vale, produzindo cerca de 7 milhões de litros de vinhos finos por ano em uma área de cerca de 700 hectares. O Vale já é considerado a segunda maior região produtora de vinhos finos do Brasil, representando 15% do mercado nacional. A região também produz manga, banana, goiaba, coco e acerola.

A passagem dos moçambicanos pelo Brasil será finalizada com uma visita à Embrapa Semiárido, também em Petrolina. A unidade tem o objetivo de conferir eficiência produtiva ao setor agropecuário, reduzindo custos de produção e aumentando a oferta de alimentos pelo uso de tecnologias que apresentem viabilidade econômica, impactos sociais positivos e conservação ambiental. A finalidade da delegação estrangeira é, portanto, conhecer os diversos processos de transferência de tecnologia adotados pela empresa.

Incentivo à irrigação - Os investimentos em irrigação buscam criar alternativas para a população que convive com a escassez de água, em especial no semiárido brasileiro, a fim de gerar renda sustentável com a atividade. A Codevasf possui ao todo 35 perímetros públicos de irrigação em operação, sendo dez deles da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) que, por força de convênio, são administrados pela empresa vinculada ao Ministério da Integração Nacional. A área total dotada com infraestrutura de irrigação em produção é de 139 mil hectares.

Em 2011, numa área em produção de 101 mil hectares, a agricultura irrigada gerou um valor bruto de produção (VBP) de 752 milhões de dólares nos perímetros de irrigação no Vale do São Francisco, considerando somente preços pagos ao produtor, ou seja, não foram contabilizadas as agregações de valor de toda a cadeia. As principais culturas produzidas são cana-de-açúcar, banana, coco, goiaba, papaia, maracujá, arroz, manga e uva, sendo as duas últimas campeãs em exportação.

Cooperação internacional – A Codevasf tem buscado estabelecer parcerias técnicas com alguns países. O objetivo é tanto transferir conhecimento, em virtude da expertise da empresa em áreas como irrigação e revitalização de rios, como adquirir aprendizados, possibilitando o desenvolvimento das bacias do São Francisco, Parnaíba, Itapecuru e Mearim.

Desde dezembro do ano passado, por exemplo, está em andamento um acordo de cooperação técnica com o Corpo de Engenheiros do Exército Americano (USACE) para consultoria na área de hidrovia, visando ao controle de processos erosivos, à garantia de navegabilidade e à contenção de margens do trecho situado na bacia do São Francisco, entre Ibotirama/Bom Jesus da Lapa e Petrolina/Juazeiro.

Outro acordo é com o Instituto de Pesca Artesanal e da Aquicultura (IPA) da República de Angola, que deve ser firmado em julho deste ano. O país está construindo dois centros que, a princípio, objetivam atender à piscicultura familiar e promover o desenvolvimento da aquicultura. Pela proposta, a Companhia deverá oferecer capacitação a técnicos angolanos no Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura de Betume, em Sergipe.