Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2007 > Convênio Chesf/Codevasf apoia formação de cooperativa em Rodelas (BA)
conteúdo

Notícias

Convênio Chesf/Codevasf apoia formação de cooperativa em Rodelas (BA)

O cultivo do coco verde é a principal atividade agrícola do Perímetro Irrigado Rodelas, localizado no município de mesmo nome, no norte da Bahia. O perímetro possui mais de mil hectares cultivados pelos agricultores familiares reassentados do Sistema Itaparica, que ajuda a compor a estatística baiana de maior produção do país.
publicado: 14/10/2011 17h01, última modificação: 20/06/2018 17h12

O cultivo do coco verde é a principal atividade agrícola do Perímetro Irrigado Rodelas, localizado no município de mesmo nome, no norte da Bahia. O perímetro possui mais de mil hectares cultivados pelos agricultores familiares reassentados do Sistema Itaparica, que ajuda a compor a estatística baiana de maior produção do país.

Vencendo os desafios de produzir com qualidade, os agricultores focam na comercialização e na ampliação de mercados. Para isso, se organizaram para formar a Cooperativa dos Produtores Agrícolas de Rodelas (Coopercoco) com o objetivo de melhorar as vendas e terem mais condições de acessar os programas de governo voltados para o segmento.

“A agricultura familiar possui um valor bruto de produção maior que a agricultura industrial. Isso demonstra a importância dos empreendimentos agrícolas familiares para o país”, destaca a superintendente regional, Ana Angélica Almeida Lima, da Codevasf em Juazeiro (BA).

“A criação da cooperativa foi um passo muito importante para nós e nesse processo, a Ater vem desempenhando um papel fundamental, pois, além de nos orientar no campo, também auxilia nos trâmites burocráticos da entidade”, comenta o conselheiro fiscal Rosalvo Almeida, do Gicoco.

“A cooperativa encurta o caminho entre o produtor e o consumidor e isso significa um ganho maior no preço. A entidade abre um leque de oportunidades, pois tem mais mercado para comercializar por conta do volume”, reflete o diretor presidente Eusébio Fernandes, da Coopercoco.

Trajetória - Antes de formalizarem a Cooperativa, os produtores do Perímetro Irrigado Rodelas formaram o Grupo de Interesse do Coco (Gicoco), uma organização não formal, com o intuito de fortalecer a comercialização. Com o êxito nas operações de forma mais organizada, os integrantes ampliaram a comercialização pelos estados da Bahia e Pernambuco e alcançaram novos mercados, a exemplo de São Paulo e Pará.

Como as experiências de venda da produção em grupo foram se consolidando e com as perspectivas de aumento no volume das suas operações por meio das alternativas de mercado que asseguram a compra de produtos da agricultura familiar, a exemplo do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), ambos operacionalizados pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), os produtores de coco viram a necessidade de constituir uma cooperativa, para viabilizar a comercialização.

Com o apoio do Convênio Chesf/Codevasf, através da Superintendência Regional da Codevasf em Juazeiro (BA), por meio da Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater), do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo no Estado da Bahia (Sescoop-BA), do Território de Cidadania Itaparica e de outros diversos parceiros, os agricultores receberam orientações e capacitações sobre a constituição da cooperativa.

Vocação – O Perímetro Irrigado Rodelas já é familiarizado com o cooperativismo. Outras três organizações de produtores estão ativas. A Cooperativa dos Trabalhadores Agrícolas de Rodelas (Cootar) e a Cooperativa Autogestionária dos Agropecuaristas de Rodelas (Coopar) tiveram suas atividades iniciadas em 1998. A Cooperativa dos Agricultores do Perímetro Irrigado Rodelas (Cooapir) foi fundada em 2004.