Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2007 > Codevasf na 66ª Expoese, em Sergipe
conteúdo

Notícias

Codevasf na 66ª Expoese, em Sergipe

A Codevasf é uma das expositoras na 66ª Expoese (Exposição Agropecuária de Sergipe), que acontece até o próximo dia 18, no Parque João Cleóphas, em Aracaju
publicado: 14/11/2007 09h33, última modificação: 20/06/2018 17h08

A Codevasf é uma das expositoras na 66ª Expoese (Exposição Agropecuária de Sergipe), que acontece até o próximo dia 18, no Parque João Cleóphas, em Aracaju. O evento reúne os principais atores da agricultura e da pecuária no estado. No caso da Codevasf, a empresa apresenta aos visitantes as principais ações desenvolvidas em sua área de atuação. Uma das principais atrações no estande são os aquários com surubim, tilápia, tambaqui e carpa comum.

Segundo o superintendente regional da Codevasf em Sergipe, Antonio Viana Filho, a exposição do trabalho que a Companhia desenvolve "só reafirma o desejo da empresa de fortalecer e consolidar o meio rural, especialmente através da geração de emprego e renda que promovam a melhoria de vida do povo da região".

A exposição conta com a participação de diversos órgãos que atuam no meio rural e no segmento agropecuário, além de instituições financeiras que aportam recursos para a crédito agrícola, viabilizando negócios do setor.

Produtores beneficiados com as ações da Codevasf também participam da exposição, como é o caso do criador de caprinos José Adalmir Barros, do município de Nossa Senhora da Glória. Com um rebanho de 86 animais, voltado para produção de leite, ele avalia como positiva a atuação da Companhia no apoio à produção de ovinos na região. "A empresa deu todo apoio que precisamos, melhorou a nossa condição de vida e já começamos a colher bons frutos, pois os nossos animais são de boa linhagem", explica. A produção é comercializada por meio da ASCA (Associação Sertaneja de Caprinocultores de Nossa Senhora da Glória). "Criar cabra é um bom negócio e está dando certo. As ações da Codevasf têm ajudado bastante, pois antes desse incentivo, criava gado, mas não lucrava. Agora, com essa ação posso dizer que tiro o meu sustento, pago a ração, remédios e ainda tenho lucro", conclui o produtor.