Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2007 > Codevasf investiu mais de 13 milhões em caprinovinocultura
conteúdo

Notícias

Codevasf investiu mais de 13 milhões em caprinovinocultura

A Codevasf, em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Regional do Ministério da Integração Nacional (SDR/MI), vem intensificando seu apoio à estruturação da caprinovinocultura, por meio da aquisição de equipamentos, animais reprodutores, implantação de núcleos de produção, abatedouros equipados e unidades de beneficiamento de carne de caprinos e ovinos. Entre 2004 e 2012, a Codevasf aplicou mais de R$ 13 milhões no apoio à estruturação dessa atividade.
publicado: 20/08/2012 17h44, última modificação: 20/06/2018 17h14

A Codevasf, em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Regional do Ministério da Integração Nacional (SDR/MI), vem intensificando seu apoio à estruturação da caprinovinocultura, por meio da aquisição de equipamentos, animais reprodutores, implantação de núcleos de produção, abatedouros equipados e unidades de beneficiamento de carne de caprinos e ovinos. Entre 2004 e 2012, a Codevasf aplicou mais de R$ 13 milhões no apoio à estruturação dessa atividade.

Os recursos também foram destinados à mobilização e capacitação de produtores e participação em feiras de comercialização de animais e produtos, além da implantação de centros de artesanato e artigos de couro; do Centro de Manejo e Reprodução de Ovinos e Caprinos, em parceria com a Embrapa, em São João do Piauí (PI); da Central de Comercialização de Montes Claros (MG) e de equipamentos para o abatedouro de Jussara na Bahia.

Celso Domingos Ribeiro, do município de Campo Alegre do Fidalgo (PI), é um dos produtores apoiados por projetos da Codevasf e instituições parceiras como Embrapa, Emater-PI e Banco do Brasil. Ele destaca a importância das capacitações para a melhoria do manejo de caprinos. “Aqui na região são 30 famílias de produtores. A gente começou com um número muito pequeno, de 800 caprinos, e hoje são 9.600. Isso se deve muito às capacitações oferecidas, em que a gente aprende técnicas sobre manejo, cuidados com alimentação e vacinação. Hoje, nossa produção é voltada somente para o estado do Piauí, mas nosso objetivo é ter um frigorífico para abater o caprino e levar a produção para outros estados”, afirma o produtor.

Cebatsa - Na Bahia, a Codevasf mantém o Centro de Capacitação em Bases Tecnológicas para o Semiárido – Cebatsa, localizado no município de Itaguaçu, com o objetivo principal de desenvolvimento de tecnologias adaptadas à convivência com o semiárido e à sua disseminação para as pequenas propriedades familiares nessas regiões, sobretudo, voltadas para a Caprinovinocultura.

O Cebatsa é referência na região trazendo benefícios socioeconômicos às mais distantes regiões com a disseminação das tecnologias de baixo custo, desenvolvidas no local ou por instituições de pesquisa, em especial, promovendo cursos que envolvem a produção e o processamento de caprinos e ovinos em sistemas voltados para o semiárido, atividade comum na região.

Desde que entrou em funcionamento com recursos da Codevasf, em 2002, cerca de cinco mil jovens e produtores de mais de trinta municípios já foram capacitados no local. Parcerias com instituições públicas e privadas, tais como Embrapa, Empresa Baiana de Desenvolvimento Agropecuário (EBDA), Instituto Semiárido - ISA, prefeituras e associações de produtores contribuíram para a operacionalização do Centro e fortalecimento dos arranjos produtivos. Este ano, o Centro de Capacitação foi incluído na Rota do Cordeiro, como um Centro de Difusão de Tecnologia.

Segundo a gerente de Desenvolvimento Territorial da Codevasf, Kênia Marcelino, a atividade produtiva da caprinovinocultura é uma das alternativas para proporcionar a inclusão social e produtiva das famílias do semiárido brasileiro, considerando a facilidade de adaptação às condições adversas da vegetação e do clima da região. "É uma atividade que tem uma forte conotação social, por possibilitar a produção de leite e carne, em pequenas propriedades rurais para a subsistência familiar e para comercialização do excedente. E vale ressaltar a importância do apoio governamental, neste período de estiagem, pois, a baixa disponibilidade de alimentos e água tem ocasionado queda significativa na produção e no rebanho da região", acrescentou.

Projeto Rota do Cordeiro - Esse projeto integra o Programa Rotas de Integração Nacional, do MI, por meio da SDR, em parceria com a Embrapa. Kênia Marcelino explica que o objetivo é, principalmente, proporcionar às comunidades do semiárido um incremento na renda, a criação e manutenção de postos de trabalho, "além de possibilitar a criação de uma identidade regional para a carne de caprinos e ovinos, e, assim, estimular o desenvolvimento de atividades derivadas e que podem estar agregadas a essa rede, como por exemplo, o turismo rural e a gastronomia regional".

Esse programa prevê a instalação de seis núcleos integrados de produção de animais para abate, localizados estrategicamente em regiões produtoras tradicionalmente reconhecidas, porém com baixos índices de indicativos sociais. Prevê o melhoramento genético de animais, com a apropriação dos resultados pelas comunidades integrantes do setor produtivo, inclui a implantação de sistemas eficientes de alimentação de animais com alta qualidade e mínimo custo por parte das comunidades, a organização e gestão da informação e do conhecimento, com sua disseminação adequada aos beneficiários e, ainda, a capacitação continuada e contextualizada de agentes multiplicadores e produtores.

A Codevasf é uma das executoras das ações da Rota do Cordeiro e, este ano, está construindo uma Central de Terminação de ovinos e caprinos no município de Dom Inocêncio para atender ao projeto Rota do Cordeiro, visando à promoção de ações de desenvolvimento sustentável com apoio ao Arranjo Produtivo Local (APL) da caprinovinocultura no estado do Piauí.