Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2007 > Codevasf integra ações de combate aos efeitos da seca em Alagoas
conteúdo

Notícias

Codevasf integra ações de combate aos efeitos da seca em Alagoas

A Codevasf ampliará suas ações em municípios do semiárido alagoano para combater os efeitos da estiagem prolongada que atinge a região. Entre as principais medidas estão a intensificação e a antecipação de metas do Programa Água para Todos, executado pela Codevasf em Alagoas, a exemplo da instalação de cisternas de consumo e a recuperação, perfuração e instalação de poços artesianos.
publicado: 08/05/2012 11h44, última modificação: 20/06/2018 17h12

A Codevasf ampliará suas ações em municípios do semiárido alagoano para combater os efeitos da estiagem prolongada que atinge a região. Entre as principais medidas estão a intensificação e a antecipação de metas do Programa Água para Todos, executado pela Codevasf em Alagoas, a exemplo da instalação de cisternas de consumo e a recuperação, perfuração e instalação de poços artesianos. Somente nas ações para implantação de cisternas de consumo em comunidades rurais difusas, a meta da Codevasf para o Programa Água para Todos em Alagoas este ano é implantar 7.429 equipamentos.

Atualmente 33 municípios alagoanos sofrem os efeitos da estiagem prolongada no semiárido nordestino. Em reunião realizada na última quarta-feira (02), o governador de Alagoas assinou decreto que instituiu Comitê Integrado de Combate à Seca, com a participação de diversas instituições, como Exército Brasileiro, Associação dos Municípios Alagoanos (AMA), secretarias de Estado e Codevasf, sob a coordenação da Defesa Civil Estadual. O órgão colegiado terá como atribuições acompanhar, fiscalizar e avaliar a prestação da assistência oferecida às populações atingidas pela seca e se articular com as instituições municipais e federais nas ações de combate a estiagem prolongada.

O superintendente regional da Codevasf em Alagoas Luiz Alberto Moreira representará a Codevasf no comitê e terá como suplentes o engenheiro de pesca da Companhia Eduardo Motta, coordenador regional do Programa Água para Todos na Codevasf em Alagoas, e o engenheiro civil Luciano Nogueira, assistente do Gabinete do Superintendente Regional da Companhia.

O comitê já realizou sua primeira reunião na quinta-feira (03). Neste encontro de instalação do comitê, as ações foram divididas em quatro subgrupos: Água, Seguro Garantia de Safra, Créditos e Sistemas Simplificados de Abastecimento de Água. A Codevasf integra o subgrupo Água, que terá ações como instalação de cisternas para consumo, abastecimento de cisternas com carros pipa e recuperação, perfuração e instalação de poços artesianos. O comitê terá reuniões semanais todas as quintas-feiras com a participação das instituições com assentos para traçar as metas e monitorar as ações realizadas.

Para Luiz Alberto Moreira, a Codevasf tem uma importante contribuição no combate ao fenômeno natural das estiagens prolongadas no semiárido brasileiro. Segundo ele, a empresa deve antecipar ações do Programa Água para Todos para atender a atual situação de emergência. “Vamos procurar intensificar a instalação das cisternas do Programa. Também pretendemos verificar a possibilidade de antecipar a implantação/recuperação de poços artesianos, o que deve promover uma melhor convivência com o fenômeno da seca”, destacou.


PROGRAMA ÁGUA PARA TODOS

O Programa Água para Todos é uma iniciativa do Governo Federal e integra o Plano Brasil Sem Miséria. Lançado em julho do ano passado pela presidenta Dilma Rousseff em Arapiraca (AL), o programa tem como objetivo universalizar o acesso à água para consumo humano e para produção de alimentos. Nesta primeira fase do programa em Alagoas, a Codevasf implantará 7.429 cisternas de polietileno para consumo humano em sete municípios alagoanos: Craíbas, Arapiraca, Belo Monte, Delmiro Gouveia, Piranhas, Estrela de Alagoas e Traipu.

A segunda fase do programa prevê a execução de ações com foco no armazenamento de água para produção de alimentos que promovam a segurança alimentar e nutricional das famílias, com geração de renda a partir da comercialização do excedente. Para isso, serão executadas ações como construção ou recuperação de barreiros, perfuração ou recuperação de poços tubulares, implantação de sistemas simplificados de abastecimento de água e implantação de cisternas de produção acompanhadas de kits de irrigação ou de produção. Serão vinte e quatro municípios alagoanos atendidos na segunda fase do Água para Todos.