Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2007 > Codevasf apresenta suas principais ações a delegação de Burkina Faso
conteúdo

Notícias

Codevasf apresenta suas principais ações a delegação de Burkina Faso

Os perímetros irrigados sob a responsabilidade da Codevasf foram o principal foco de interesse da delegação do governo de Burkina Faso, chefiada pelo ministro da Agricultura, Recursos Hídricos e Pesca, Laurent Gouind Sédogo, que esteve nesta quarta (18) com o presidente da Companhia, Elmo Vaz, em Brasília (DF), numa reunião da qual também participaram, além de diretores da Codevasf, o assessor internacional do Ministério da Integração Nacional (MI), Mauro Couto, e representantes do Itamaraty.
publicado: 18/07/2012 19h31, última modificação: 20/06/2018 17h13

Os perímetros irrigados sob a responsabilidade da Codevasf foram o principal foco de interesse da delegação do governo de Burkina Faso, chefiada pelo ministro da Agricultura, Recursos Hídricos e Pesca, Laurent Gouind Sédogo, que esteve nesta quarta (18) com o presidente da Companhia, Elmo Vaz, em Brasília (DF), numa reunião da qual também participaram, além de diretores da Codevasf, o assessor internacional do Ministério da Integração Nacional (MI), Mauro Couto, e representantes do Itamaraty.

Durante a reunião, foram apresentados segmentos de atuação da Codevasf como agricultura irrigada, revitalização das bacias hidrográficas, aquicultura, qualificação profissional e infraestrutura hídrica. O programa Água para Todos e o projeto de navegabilidade da hidrovia do São Francisco também foram abordados na reunião. “É um enorme prazer receber os representantes de Burkina Faso. Estamos à disposição para colaborar com o país no que for possível, inclusive com possibilidade de firmar acordos de cooperação técnica que propiciem essa troca de experiências”, destacou o presidente Elmo Vaz.

O ministro de Burkina Faso, Laurent Gouind Sédogo, elogiou o trabalho da Companhia e do governo brasileiro em prol do desenvolvimento. Ele salientou que uma das grandes metas de seu país é garantir o desenvolvimento agrícola, de modo a atender às populações mais carentes. “Temos observado como é rica a experiência do Brasil. Sabemos que o país passou por dificuldades, mas soube vencê-las graças à capacidade de seus técnicos e líderes. Temos aqui muitos modelos para inspirar o nosso desenvolvimento”, afirmou Sédogo.

Em sua passagem pelo Brasil, a delegação de Burkina Faso também participou de uma reunião no Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), onde pôde conhecer o Programa Mais Alimentos Internacional, que financia a compra de máquinas e equipamentos agrícolas para outros países, especialmente da África, da América Central e do Caribe. Além disso, o grupo esteve na Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), na Câmara de Comércio Exterior (Camex) e na Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

A reunião na Codevasf contou com a presença dos diretores da Codevasf Solon Braga (Área de Gestão dos Empreendimentos de Irrigação) e José Augusto Nunes (Área de Revitalização das Bacias Hidrográficas), do coordenador geral do programa Água para Todos, Carlos Hermínio Oliveira, e do diplomata Julio de Oliveira Silva, da Divisão de Investimentos do Ministério das Relações Exteriores.


Experiência em irrigação - A agricultura irrigada tem se mostrado um instrumento capaz de promover e otimizar o desenvolvimento regional em áreas tradicionalmente carentes do Semiárido. A Codevasf possui ao todo 35 perímetros públicos de irrigação em operação, sendo dez deles da Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf) que, por força de convênio, são administrados pela empresa vinculada ao Ministério da Integração Nacional. A área total dotada com infraestrutura de irrigação em produção é de 139 mil hectares.

Em 2011, nos perímetros da Codevasf, a agricultura irrigada gerou um valor bruto de R$ 1,28 bilhão, com área cultivada de 84.018 hectares, representando cerca de 2,5 milhões de toneladas em alimentos e outros produtos. As principais culturas produzidas são cana-de-açúcar, banana, coco, goiaba, papaia, maracujá, arroz, manga e uva, sendo as duas últimas campeãs em exportação. Somente nos perímetros, a produção de manga gerou, no ano passado, US$ 57.49 milhões em exportações, e a uva, US$ 74.60 milhões.

Com suas ações na área de irrigação, a Companhia contribui para geração de emprego e renda e melhoria da qualidade de vida da população local, reduzindo a imigração rural, garantindo e regularizando o abastecimento interno (segurança alimentar) e promovendo geração de divisas (exportações).


Burkina Faso - Burkina Faso é um país africano, com 274,2 mil km² de extensão (menor que o estado de Tocantins) e 16,9 milhões de habitantes. A capital é Uagadugu, o idioma oficial é o francês e as línguas regionais são o Jula e Morê. Possui um PIB de US$ 10,1 bilhões.

Brasil e Burkina Faso vêm trocando missões para prospecção e negociação de projetos de cooperação em diferentes áreas, demandadas ao longo das reuniões políticas dos últimos anos. Há perspectivas de cooperação em setores como pecuária leiteira, fortalecimento do sistema de saúde, agricultura e vigilância sanitária.

Burkina Faso tornou-se independente da França em 1960, mas a preponderância econômica e cultural francesa no país continua evidente. A França é um dos principais parceiros comerciais de Burkina Faso, perdendo apenas para a Côte d’Ivoire, e contribui para o desenvolvimento do país com programas de assistência técnica.