Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2007 > Centro de Recursos Pesqueiros e Aquicultura da Codevasf em Alagoas fortalece mão de obra especializada
conteúdo

Notícias

Centro de Recursos Pesqueiros e Aquicultura da Codevasf em Alagoas fortalece mão de obra especializada

O Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura de Itiúba, centro tecnológico e científico da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), localizado em Porto Real do Colégio (AL), consolida-se como um espaço privilegiado de formação de mão de obra qualificada para atividades aquícolas e pesqueiras no Baixo São Francisco.
publicado: 27/03/2013 15h38, última modificação: 20/06/2018 17h16

O Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura de Itiúba, centro tecnológico e científico da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), localizado em Porto Real do Colégio (AL), consolida-se como um espaço privilegiado de formação de mão de obra qualificada para atividades aquícolas e pesqueiras no Baixo São Francisco.

Na última semana, duas instituições que formam profissionais para essas áreas, a Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe (IFS), em parceria com a Codevasf, usaram a estrutura e a equipe multiprofissional do Centro para atividades práticas de formação de futuros engenheiros de pesca e técnicos em recursos pesqueiros.

Uma das turmas foi formada por estudantes do curso de Engenharia de Pesca da Ufal, com sede na Unidade de Ensino de Penedo (AL), liderados pelo professor pós-doutor Emerson Soares. O professor desenvolveu junto com técnicos da Codevasf atividades práticas da disciplina Engenharia de Pesca no Centro.

“Na oportunidade, foram desenvolvidas cinco atividades principais: prática de reprodução artificial da xira, espécies endêmicas desta região, com um trabalho de acompanhamento da eclosão das larvas, manejo de reprodutores, verificação dos tanques de piscicultura e acompanhamento da engenharia de construção com conteúdos como topografia, análise de água, estruturações e adequações ao terreno”, explicou o engenheiro de pesca e docente da Ufal.

“Hoje estamos estudando de forma prática todo o conteúdo da engenharia de construção como atividade da disciplina Engenharia de Pesca. Aqui tivemos oportunidade de ver a captação da água com o tipo e funcionamento de bomba, o sistema de irrigação, o abastecimento dos viveiros, a topografia e a análise do solo. São atividades práticas de ensino que envolvem o ambiente de infraestrutura na construção de viveiros, açudes e demais estruturas para cultivos de organismos aquáticos. Vamos agora verificar a área mais antiga dos viveiros escavados aqui do Centro e, logo em seguida, compará-la com a área de novos viveiros que estão em implantação”, acrescentou Emerson Soares.

O professor de Engenharia de Pesca adiantou que a parceria entre Codevasf e Ufal para formação de mão de obra especializada, que completa sete anos em 2013, renderá um programa de pós-graduação em Aquicultura e Manejo de Ambientes Aquáticos e a construção de laboratórios da Ufal em Penedo, que também serão utilizados por técnicos da Codevasf nas ações de revitalização da bacia do São Francisco.

“A Codevasf e a Ufal são parceiras no fortalecimento da cadeia produtiva da aquicultura no Baixo São Francisco. Somente para exemplificar, neste ano, nós temos quatro projetos de pesquisa que serão executados aqui no Centro. Com o apoio da Codevasf, estamos implantando em nossa unidade em Penedo mil metros quadrados de laboratório que irão complementar a estrutura do Centro, já que aqui se atua em água doce e nos futuros laboratórios da Ufal se trabalhará com ambientes estuarinos. Essas iniciativa formarão pessoal altamente especializado, não somente engenheiros de pesca, mas médicos veterinários, zootecnistas, entre outros”, afirmou.

Instituto Federal de Sergipe - A outra turma que realizou atividades práticas de formação veio de Sergipe e foi formada por estudantes do curso de Técnico em Recursos Pesqueiros do IFS, do campus Estância (SE), liderados pelos professores Robson Silva de Lima, engenheiro de pesca formado em 2012 pela unidade da Ufal em Penedo, e Marcelo Augusto Soares Rego, engenheiro de pesca, mestre em Carcinicultura e doutorando em Recursos Pesqueiras e Aquicultura na Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE).

“Trouxemos nossos futuros técnicos em Recursos Pesqueiros para que eles vivenciassem na prática aquilo que foi trabalhado em sala de aula. Sou responsável pela disciplina Limnologia e Piscicultura e procurei apresentar o processo de reprodução artificial que é executado aqui com muita qualidade técnica. Para isso, fizemos a seleção dos reprodutores, pesagem, indução hormonal e fecundação. Queremos ver o processo de estado larval, com as fase de larva, pós-larva. Também estamos estudando a estrutura dos viveiros. Eles ainda analisaram alguns patógenos nos peixes para identificar o causador de algumas doenças. Buscamos com isso que esses futuros profissionais entendam o processo de construção dessas estruturas para que, ao chegar ao mercado de trabalho, possam atuar de maneira mais segura”, afirmou o professor Robson Silva de Lima, que na época de estudante de Engenharia de Pesca da Ufal também desenvolveu atividades acadêmicas no Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura da Codevasf.

Ele também apontou o Centro da Codevasf como fundamental para formação e oferta de mão de obra especializada nas área de aquicultura e recursos pesqueiros, fortalecendo essas atividades econômicas no Baixo São Francisco. “Não tenho dúvida de que a cadeia produtiva da pesca e da aquicultura está cada vez mais fortalecida com a atuação desta unidade da Codevasf”, declarou.

A mesma opinião é compartilhada pelo professor do IFS Marcelo Augusto Soares Rego, que também já esteve em visita técnica ao Centro quando estudante de engenharia de pesca da UFRPE. “Aqui encontramos uma estrutura bastante equipada e com ótimos profissionais, que proporciona a formação qualificada de técnicos nas áreas de recursos pesqueiros e aquicultura. Vejo como um centro de referência não somente regional, mas também nacional. Aqui temos alojamentos apropriados e laboratórios dos mais modernos, o que resulta em todo esse conhecimento que se produz nesta unidade”, comentou.

Essa foi a primeira vez que os professores da IFS trouxeram estudantes para atividades práticas no centro tecnológico. Agora eles pretendem trazer semestralmente outras turmas.

Tanto os estudantes da Ufal quanto os do IFS ficaram surpreendidos com a estrutura e elevado nível técnico dos profissionais que atuam na unidade da Codevasf em Porto Real do Colégio. “A reprodução artificial dos peixes foi uma das coisas que mais me surpreendeu. Ter aulas práticas aqui é uma experiência única para qualquer estudante. Todos que estudam nas áreas de pesca e aquicultura deveriam desempenhar essas atividades”, comentou Raul Nonato, 22 anos, estudante do 2º período do curso de Técnico em Recursos Pesqueiros do IFS.

O estudante Alisson Bezerra, 24 anos, do 8º período do curso de Engenharia de Pesca da Ufal, também identifica nas atividades práticas desempenhadas no centro tecnológico uma oportunidade de ampliar sua formação profissional e estar melhor preparado para exercer sua futura profissão. “Posso destacar os conhecimentos em topografia, manejo na piscicultora e reprodução como os que mais me chamaram a atenção aqui. Pretendo atuar em ictiologia e esse contato foi fundamental para minha formação”, afirmou.

Fortalecimento e desenvolvimento - O chefe do Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura de Itiúba e engenheiro de pesca, Alexandre Delgado, acredita que a unidade desempenha papel fundamental no fortalecimento e desenvolvimento da cadeia produtiva da aquicultura e recursos pesqueiros. “Não tenho dúvidas de que esse centro tecnológico é o principal responsável pelo desenvolvimento da piscicultura em Alagoas e no Baixo São Francisco. Hoje toda a atividade de piscicultura no estado passa pelo Centro. Nós somos o principal fornecedor de alevinos na região, tanto para pequenos produtores quanto para ações do governo de Alagoas. Capacitamos pequenos produtores e também atuamos em parceria com instituições de ensino como a Ufal, UFRPE, Universidade Estadual de Alagoas (Uneal), Universidade Federal de Sergipe (UFS) e os institutos federais, como o IFS, na formação de mão de obra altamente especializada. Praticamente todas as aulas práticas da Ufal no curso de Engenharia de Pesca são desenvolvidas aqui. Também produzimos tecnologia para essas áreas em pesquisas aplicadas”, definiu.

Ele ainda reconheceu o papel da Ufal no fortalecimento da cadeia produtiva da aquicultura e recursos pesqueiros no Baixo São Francisco com a implantação do curso de Engenharia de Pesca em Penedo e o reforço deste processo com a criação da Secretaria de Estado da Pesca e Aquicultura (Sepaq) pelo governo de Alagoas. Para ele, a implantação de um programa de pós-graduação em Aquicultura e Manejo de Ambientes Aquáticos na unidade da Ufal em Penedo somente consolida esse cenário. “Essa iniciativa de criar um programa para capacitação de alto nível vem ao encontro das demais ações dessas instituições, como Codevasf, a própria Ufal, governo de Alagoas, entre outras. Boa parte das pesquisas desse programa serão executadas em nosso centro tecnológico, o que resultará em profissionais com um nível cada vez melhor de excelência e o desenvolvimento em maior grau das atividades aquícolas”, defendeu Alexandre Delgado.

As atividades desenvolvidas por professores e estudantes da Ufal e do IFS também tiveram um conteúdo teórico e foram ministradas pelos docentes no auditório do Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura em Porto Real do Colégio. Já as atividades práticas contaram com a participação de técnicos da Codevasf nas seguintes áreas: análise e qualidade de água, com o químico Anilvison Cavalcante; patologia de peixes, com o médico veterinário Matheus Félix; coleta de água e manejo de peixes, com o biólogo José Reginaldo Dias Júnior e o técnico em aquicultura Vinícius Filho; e reprodução, com os engenheiros de pesca Kley Lustosa e Sérgio Marinho.