Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2006 > Velho Chico recebe 100 mil peixes juvenis na Semana da Água
conteúdo

Notícias

Velho Chico recebe 100 mil peixes juvenis na Semana da Água

As águas do rio São Francisco encheram-se de vida na terça-feira , 23 de março, com a inserção de 100 mil peixes juvenis de espécies nativas durante peixamento realizado pela Codevasf em Alagoas em parceria com a Prefeitura Municipal de Piranhas. O repovoamento do Velho Chico ocorreu no povoado Entremontes em meio à programação da Semana da Água de Piranhas, município ribeirinho localizado a 291 Km da capital alagoana.
publicado: 24/03/2010 15h10, última modificação: 20/06/2018 17h06

As águas do rio São Francisco encheram-se de vida na terça-feira , 23 de março, com a inserção de 100 mil peixes juvenis de espécies nativas durante peixamento realizado pela Superintendência Regional da Codevasf em Alagoas em parceria com a Prefeitura Municipal de Piranhas. O repovoamento do Velho Chico ocorreu no povoado Entremontes em meio à programação da Semana da Água de Piranhas, município ribeirinho localizado a 291 Km da capital alagoana.

Segundo o superintendente regional da Codevasf em Alagoas, Antônio Nélson de Azevedo, a realização deste peixamento na semana em que se comemora o Dia Mundial da Água -22 de março - não ocorre por acaso. “A Codevasf está levando à frente um programa ousado de revitalização do rio São Francisco. Revitalizar significa recuperar a vida e é isso que estamos fazendo quando implantamos sistemas de esgotamento sanitário em diversos municípios alagoanos. Fazemos isso também quando promovemos ações socioambientais que recuperam a relação da comunidade com o São Francisco e seus afluentes. E por isso estamos na Semana Mundial da Água devolvendo ao meio ambiente natural essas espécies nativas, que irão impulsionar a pesca artesanal e recuperar a ictiofauna do Baixo São Francisco”, explicou.

Essa não é a primeira vez que a Codevasf realiza peixamento nas água do rio São Francisco que cortam Piranhas. Somente no ano passado, foram inseridos cerca de 700 mil alevinos de espécies nativas. “Pretendemos agora realizar um acompanhamento biométrico para verificar os resultados dos últimos peixamentos, como crescimento dos peixes e mortandade. Assim podemos identificar também se os animais estão em tamanho e peso ideal para consumo”, afirmou Glênio Tavares, secretário municipal de Pesca e Meio Ambiente de Piranhas. Ele ainda afirmou que os pescadores da região já festejam o aumento na quantidade de peixes no rio após as ações de peixamento da Codevasf.

Glênio Tavares também explicou o porquê da escolha do povoado Entremontes como local para realização do peixamento. “Nesta área estão localizadas as condições ideais para reprodução das espécies nativas do Rio São Francisco, como, por exemplo, pedras em abundância e riqueza de material orgânico”, esclareceu.

O peixamento foi acompanhado por diversos estudantes, professores, pescadores e moradores da região, o que dá um dimensão maior à ação, conforme avalia o engenheiro de pesca Álvaro Albuquerque, chefe do Centro de Referência em Aquicultura e Recursos Pesqueiros do São Francisco (Ceraqua/SF), unidade da Codevasf que produziu os alevinos. “Mais que aumentar a quantidade de pescado no São Francisco, os peixamentos são um aula de educação ambiental para todas as idades. A satisfação das crianças em colocar um peixe nas águas é surpreendente, pois ali ela sabe que é ator principal neste cenário de revitalização do rio São Francisco”, afirmou Albuquerque.