Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2006 > Reuniões públicas sobre obras de esgotamento na Bahia
conteúdo

Notícias

Reuniões públicas sobre obras de esgotamento na Bahia

As cidades baianas de Botuporã, Rio do Pires, Ipupiara, Morpará e Paramirim receberam na última semana a visita do superintendente regional da Codevasf em Bom Jesus da Lapa, Calmito Fagundes, e do assessor da Presidência da empresa, Sérgio Coelho, para reuniões publicas a respeito das obras de esgotamento sanitário a serem executadas naqueles municípios
publicado: 30/11/2009 14h40, última modificação: 20/06/2018 17h05

As cidades baianas de Botuporã, Rio do Pires, Ipupiara, Morpará e Paramirim receberam na última semana a visita do superintendente regional da Codevasf em Bom Jesus da Lapa, Calmito Fagundes, e do assessor da Presidência da empresa, Sérgio Coelho, para reuniões públicas a respeito das obras de esgotamento sanitário a serem executadas naqueles municípios. Nas cinco cidades, será investido um total de cerca de R$ 20 milhões, com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), no âmbito do Programa de Revitalização da Bacia Hidrográfica do São Francisco.

A realização da reunião pública é uma condicionante ambiental para a execução dos trabalhos, com vistas a dar amplo e irrestrito conhecimento à população sobre o assunto. Objetiva também divulgar os benefícios que a obra irão trazer para o município e para toda a bacia do Rio São Francisco, além de informar sobre outras questões que envolvem um empreendimento desta natureza.

O evento contou com a participação de autoridades municipais e imprensa local. A participação da população também foi intensa e muito ativa durante o evento. Após a apresentação do projeto pelo assessor Sérgio Coelho, foi aberto espaço para perguntas dos populares a respeito das obras e da atuação da Codevasf na região.

Como parte da divulgação das obras nas cidades, técnicos da Codevasf visitarão os estabelecimentos de ensino para apresentar o projeto aos estudantes, incluindo escolas dos níveis fundamental, médio e superior, além das entidades de classe e agentes comunitários de saúde. O processo de divulgação inclui, também, distribuição de material gráfico específico para cada faixa etária. Para o ensino fundamental, foi criada uma cartilha e um desenho animado sobre os benefícios das obras.