Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2006 > Projetos para o Sertão do Araripe em Pernambuco
conteúdo

Notícias

Projetos para o Sertão do Araripe em Pernambuco

A Secretaria de Biodiversidade e Florestas, do Ministério do Meio Ambiente (MMA), e a organização não-governamental Cooperação Técnica Alemã (GTZ) querem firmar um acordo de cooperação técnica com a Codevasf para melhorar a eficiência e a sustentabilidade da fonte energética consumida na produção do gesso no Sertão do Araripe pernambucano.
publicado: 20/02/2009 15h04, última modificação: 20/06/2018 17h03

A Secretaria de Biodiversidade e Florestas, do Ministério do Meio Ambiente (MMA), e a organização não-governamental Cooperação Técnica Alemã (GTZ) querem firmar um acordo de cooperação técnica com a Codevasf para melhorar a eficiência e a sustentabilidade da fonte energética consumida na produção do gesso no Sertão do Araripe pernambucano.

Nessa perspectiva de estudos ambientais, a Companhia patrocinou, por três anos, extensa pesquisa coordenada pela Fundação de Pesquisas Florestais do Paraná (Fupef) para elaboração do Programa de Desenvolvimento Florestal da Chapada do Araripe. O Programa Florestal é uma das ações adotadas pelo Governo Federal para revitalização da Bacia do Rio São Francisco.

Segundo o consultor da GTZ, Roberval Veras, a parceria com a Codevasf objetiva modernizar o processo industrial e otimizar o uso da matriz energética renovável por meio de manejo florestal sustentável e plantios florestais com espécies nativas e exóticas. Nesse sentido, vale ressaltar as experiências das florestas plantadas com clones de eucalipto no município de Araripina. Os experimentos, implantados pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) e o Instituto Agronômico de Pernambuco, são subsidiados pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

“Queremos promover o manejo sustentável da vegetação nativa no Polo Gesseiro e assim conciliar geração de energia oriundo da madeira e preservação ambiental na atividade gesseira”, salienta Frota, referindo-se ao uso da lenha extraída do bioma Caatinga para a produção do gesso. O superintendente também ratificou a disposição da Companhia em contribuir na otimização dos fornos de calcinação do gesso e na aquisição de um triturador para a produção de cavaco (lascas de
madeira).

A iniciativa, viabilizada através de um acordo de cooperação técnica, agregaria em torno de 11 instituições, entre órgãos governamentais, fundações, associações e entidades privadas que atuam no Polo Gesseiro pernambucano. Para o MMA, a participação da Codevasf fortaleceria a articulação entre esses atores com vistas a alocar recursos e construir uma estratégia norteadora para o desenvolvimento sustentável.

ARARIPE - O Pólo Gesseiro do Araripe detém o maior conjunto de jazidas de gipsita em exploração no Brasil (o 2º do mundo) e abastece quase todo o mercado nacional de gesso com 95% da produção brasileira. O Araripe é considerado um Arranjo Produtivo Local (APL) em nível estadual e federal que emprega em torno de 72 mil trabalhadores diretos e indiretos.

Segundos dados do Sindicato da Indústria do Gesso do Estado de Pernambuco (Sindusgesso), a região conta com 36 mineradoras de gipsita, 138 indústrias de calcinação e 380 indústrias de pré-moldados situadas, principalmente, nos municípios de Araripina, Ipubi, Ouricuri, Bodocó e Trindade, todos fazem parte da área de abrangência da Superintendência Regional da Codevasf em Petrolina.