Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2006 > Perspectivas de incremento da exportação de produtos do Vale
conteúdo

Notícias

Perspectivas de incremento da exportação de produtos do Vale

No Vale do São Francisco, a fruticultura representa um alto potencial de exportação. Objetivando dinamizar a produção agrícola dos Perímetros de Irrigação Brígida, localizado no município de Orocó (PE), Senador Nilo Coelho, em Petrolina (PE), e Curaçá, em Juazeiro (BA), o Banco Mundial (BIRD) pretende incentivar projetos produtivos que viabilizem alternativas de acesso a novos mercados.
publicado: 08/06/2009 15h35, última modificação: 20/06/2018 17h04

No Vale do São Francisco, a fruticultura representa um alto potencial de exportação. Objetivando dinamizar a produção agrícola dos Perímetros de Irrigação Brígida, localizado no município de Orocó (PE), Senador Nilo Coelho, em Petrolina (PE), e Curaçá, em Juazeiro (BA), o Banco Mundial (BIRD) pretende incentivar projetos produtivos que viabilizem alternativas de acesso a novos mercados.

Para realizar um levantamento da realidade da região, consultores do Banco Mundial visitaram, neste mês de junho, os Perímetros Irrigados para conhecer organizações e identificar as que possuem o perfil para participar de um projeto de articulação de pequenos agricultores familiares com mercados nacional e internacional. “Fizemos o levantando do potencial produtivo, tipos de produtos, interesses e as condições das associações”, explica o consultor do Banco Mundial, Raimundo Caminha.

Em Orocó (PE), foram visitadas a Cooperativa dos Pequenos Produtores Rurais do Vale do São Francisco (Coopevasf) e a Cooperativa dos Produtores Rurais do São Francisco (Cooperança), ligadas ao Perímetro Irrigado Brígida. “As duas entidades possuem conhecimento na produção que compradores internacionais se interessam, a exemplo da manga, banana, goiaba, maracujá e inhame - nova cultura inserida no Perímetro”, afirma Caminha.

O consultor do Banco Mundial descreve que existe potencial, além de condições favoráveis de solo, reforçando que diversas organizações da região integram uma lista indicativa de produtores e cooperativas que possivelmente serão visitados por empresários europeus do setor agrícola, representantes de organizações de compradores e de empresas que comercializam na Europa, até o final do mês. Segundo Caminha, os contatos com os empresários europeus podem apontar os caminhos para firmarem compromissos futuros. “Neste empreendimento, o Banco Mundial pode ser financiador para apoiar os pequenos produtores nas infraestruturas, equipamentos ou outras necessidades importantes para articulação com o mercado e compradores”, finaliza.

O objetivo do BIRD é tentar viabilizar alternativas de acesso a novos mercados para projetos produtivos que são desenvolvidos na região pela Codevasf e pelo Programa de Apoio ao Pequeno Produtor Rural de Pernambuco (ProRural), vinculado à Secretaria Estadual de Planejamento e Gestão (Seplag). “Estamos apoiando os produtores para que os processos de comercialização sejam mais eficientes”, diz o engenheiro agrônomo Osnan Ferreira, da Codevasf em Petrolina (PE).

Para acessar esta modalidade de comercialização, é necessário que as entidades e empreendimentos estejam no nível de organização satisfatória, o que compreende modelo de gestão adotado, utilização de ferramentas administrativas apropriadas e sistema de gerenciamento. “A Cooperança, Coopevasf e Associação dos Produtores Rurais do Núcleo 6 do Perímetro de Irrigação Senador Nilo Coelho, por terem experiência em comercialização com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e atenderem aos requisitos do mercado, facilitam o trabalho da comercialização”, completa o técnico em Supervisão e Acompanhamento de Sub-Projetos do ProRural, Israel Santiago.