Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2006 > Limpeza de Embalagens Vazias de Agrotóxicos em Alagoas
conteúdo

Notícias

Limpeza de Embalagens Vazias de Agrotóxicos em Alagoas

A Superintendência Regional da Codevasf em Alagoas promoveu a Semana da Limpeza de Embalagens Vazias de Agrotóxicos nos perímetros irrigados de Boacica, no município de Igreja Nova, e Itiúba, em Porto Real do Colégio
publicado: 12/01/2009 11h05, última modificação: 20/06/2018 17h03

A Superintendência Regional da Codevasf em Alagoas promoveu a Semana da Limpeza de Embalagens Vazias de Agrotóxicos nos perímetros irrigados de Boacica, no município de Igreja Nova, e Itiúba, em Porto Real do Colégio. Como parte da programação, foram realizadas palestras sobre os cuidados no manuseio e aplicação de agrotóxicos e o acondicionamento correto das embalagens vazias. O evento foi promovido pela Unidade de Meio Ambiente da Gerência Regional de Revitalização, em parceria com a Associação dos Distribuidores e Revendedores de Agrotóxicos de Alagoas (ADRAAL), Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária de Alagoas (ADEAL) e quatro associações de produtores dos povoados circunvizinhos na região.

Um técnico de uma das associações envolvidas no processo de recolhimento de embalagens foi treinado para receber, analisar, classificar e armazenar adequadamente as embalagens no posto de recolhimento de embalagens vazias de agrotóxicos, construído pela Codevasf, situado no Perímetro de Itiúba. O posto vai funcionar na segunda quinta-feira de cada mês. No encontro ficou acertada a ida de um caminhão para transporte das embalagens devidamente acondicionadas até Maceió, onde serão incineradas ou recicladas, dependendo das condições dos recipientes.

A tríplice lavagem das embalagens vazias, o uso de equipamentos de proteção individual (EPI) e os cuidados na aplicação de produtos químicos foram os assuntos que mais chamaram a atenção dos pequenos produtores durante as palestras. Para o chefe da Unidade de Meio Ambiente da Codevasf, Pedro Mello, “os pequenos produtores já começaram a formar uma nova consciência sobre os cuidados com a saúde e com a natureza, e isso é muito positivo não só para eles, como também para os consumidores da região”.