Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2006 > Inauguração do Ceraqua em Alagoas
conteúdo

Notícias

Inauguração do Ceraqua em Alagoas

Amanhã (16/03), será inaugurado o Centro de Referência em Aquicultura e Recursos Pesqueiros do São Francisco (Ceraqua/SF), no município de Porto Real do Colégio (AL). A missão do Ceraqua São Francisco é atuar como centro difusor de tecnologia em aquicultura. Entre os objetivos do Centro está a produção de alevinos para a recomposição da ictiofauna do Rio São Francisco
publicado: 15/03/2010 09h55, última modificação: 20/06/2018 17h06

Amanhã (16/03), será inaugurado o Centro de Referência em Aquicultura e Recursos Pesqueiros do São Francisco (Ceraqua/SF). A solenidade será realizada às 10h, com a presença dos ministros da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, e da Pesca e Aquicultura, Altemir Gregolin, além do presidente da Codevasf, Orlando Castro; do governador de Alagoas, Teotonio Vilela Filho; do diretor presidente da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Pedro Antonio Arraes Pereira, e da reitora da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), Ana Dayse Doria.

O Ceraqua São Francisco funcionará no município de Porto Real do Colégio (AL) como unidade da Codevasf no estado, tendo sua gestão compartilhada entre a Companhia, Ministério da Pesca e Aquicultura, Embrapa, UFAL e governo do estado de Alagoas. Na solenidade de inauguração será assinado um acordo técnico e operacional entre as instituições para oficializar essa inovação na gestão pública brasileira.

Fomento à piscicultura intensiva e empresarial

A missão do Ceraqua São Francisco é atuar como centro difusor de tecnologia em aquicultura. Entre os objetivos do Centro está a produção de alevinos para a recomposição da ictiofauna do Rio São Francisco. Além do repovoamento do rio, esse trabalho consiste no peixamento de lagoas marginais, açudes públicos e comunitários para inclusão social do homem do campo.

Além disso, o Centro trabalha para fomentar a atividade de piscicultura intensiva e empresarial no Baixo São Francisco alagoano como alternativa de desenvolvimento econômico. Para isso, suas ações dão ênfase tanto ao piscicultor em nível de produção familiar quanto à iniciativa privada

Um dos resultados projetados para o Ceraqua São Francisco é o aumento de produtividade experimentado pela estação de piscicultura da Codevasf em Alagoas. Em Itiúba (AL) eram produzidos cerca de 100 mil alevinos por ano. Uma vez em operação o Centro terá capacidade de produção de até 15 milhões de alevinos por ano.

Apesar da oficialização da parceria na gestão compartilhada somente ocorrer no dia da inauguração, com a assinatura do acordo técnico e operacional, o Ceraqua São Francisco já possui cerca de 29 trabalhos de pesquisa realizados e em fase de realização.

De estação de piscicultura a centro tecnológico

O Centro iniciou suas atividades no final da década de 1970 como Estação Piloto de Piscicultura de Itiúba (EPI), sendo uma das primeiras estações do programa de piscicultura da Codevasf construída no vale do São Francisco, juntamente com a Estação de Piscicultura de Três Marias (MG).

A antiga EPI é parte de um programa iniciado no final dos anos 80 quando a Codevasf enviou seu corpo técnico de engenheiros de pesca para a Hungria para ser capacitado em tecnologia de propagação artificial de peixes de água doce em laboratório. Isso proporcionou a vinda ao Brasil de uma das maiores autoridades em piscicultura no mundo, o húngaro Elek Woynarovich, para um intercâmbio que durou aproximadamente oito anos. O resultado foi um salto tecnológico que mudou a história da piscicultura brasileira.

Para transformar a Estação de Piscicultura da Codevasf em um dos mais modernos centros tecnológicos e científicos em aquicultura e recursos pesqueiros do Brasil, foram investidos cerca de R$ 8,5 milhões pelo Governo Federal, por meio da Codevasf e do Ministério da Pesca e Aquicultura. O Centro conta com equipamentos de última geração como cromatógrafo gasoso, osmômetro, digestores de proteínas e gorduras, autoclaves, microscópios de fluorescências, espectofotômetro, balanças digitais, entre outros.

Para a realização de pesquisas e produção nas áreas de aquicultura e recursos pesqueiros foram montados diversos laboratórios como o de nutrição e bromatologia, de ictiopatologia, de genética, de limniologia e de biotecnologia. O Ceraqua São Francisco conta também com uma fábrica de ração para alimentos especiais, alojamento para pesquisadores e visitantes, refeitório, auditório, salas de treinamento e viveiros para produção e pesquisa.

Além do Ceraqua São Francisco, a Codevasf também está investindo na construção do Ceraqua Parnaíba, que atuará nas ações de revitalização da bacia hidrográfica do rio Parnaíba, nos estados do Piauí, Maranhão e Ceará.