Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2006 > Gestão rural nos perímetros de irrigação de Petrolina
conteúdo

Notícias

Gestão rural nos perímetros de irrigação de Petrolina

Os produtores dos perímetros de irrigação da Codevasf em Petrolina estão capacitando-se em gestão de propriedades rurais. O programa, criado em julho de 2008, nasceu a partir da demanda dos extensionistas da Codevasf que prestam assistência técnica e extensão rural (ATER) aos pequenos irrigantes.
publicado: 30/03/2009 14h23, última modificação: 20/06/2018 17h03

Os produtores dos perímetros de irrigação da Codevasf em Petrolina estão capacitando-se em gestão de propriedades rurais. O programa, criado em julho de 2008, nasceu a partir da demanda dos extensionistas da Codevasf que prestam assistência técnica e extensão rural (ATER) aos pequenos irrigantes.

“Esses produtores desconheciam os custos da produção nos lotes. Diante disso, nossa intenção era propor um curso que oferecesse conhecimentos básicos de gerenciamento agrícola em pequenas propriedades”, esclarece Antônio Paulo Lopes, chefe da Unidade de Apoio aos Empreendimentos da Codevasf em Petrolina (PE).

Os cursos do Programa de Gestão de Propriedades Rurais são ministrados por pesquisadores da Embrapa Semi-árido. O projeto piloto foi implantado com cinco produtores do Perímetro Nilo Coelho e, de forma gradual, está se expandindo para atingir mais participantes.

No dia 26 de fevereiro, dezenas de produtores receberam treinamento para ingressar no Programa. Para o produtor agrícola, Fábio Oliveira Silva, o acompanhamento gerencial vai representar uma ferramenta de identificação dos gastos. “Por meio da gestão a gente ficará sabendo o andamento da produção, a situação real: quanto se está gastando, o que estamos lucrando”, comenta.

De acordo com o analista da Embrapa, Junior Cesar Fatinansi, que ministra os cursos e monitora as atividades dos técnicos e produtores, a gestão rural é útil para racionalizar os custos. “O produtor rural sabe quanto está apurando ao vender o quilo da uva, por exemplo, mas ele não sabe quanto custou para produzir aquilo, se esse valor consegue cobrir os custos,” pontua o analista.

O Programa de Gestão de Propriedades Rurais funciona por meio do controle dos custos de produção. Com orientação técnica dos extensionistas da Plantec, contratada da Codevasf para o serviço de ATER, os produtores preenchem planilhas com informações que vão desde o levantamento do inventário, gastos com a irrigação em si até a comercialização da colheita.

“A princípio é uma coisa muito simples, mas o produtor pode perfeitamente trabalhar com papel, caneta e uma calculadora e obter os resultados esperados. Não adianta pensar em coisas complexas, fora da realidade do produtor. Nosso objetivo é propor uma alternativa simples, que não tenha custo nenhum, só o tempo para preencher as planilhas: uma hora por dia é o suficiente”, lembra Junior Cesar.

CALENDÁRIO – Os novos produtores agrícolas que vão ingressar no Programa de Gestão de Propriedades Rurais receberam as primeiras orientações para o acompanhamento dos custos de produção. Eles deverão delimitar uma área do lote que servirá de referência para o estudo, mesma precisa estar em plena atividade comercial e no ciclo que começa após a colheita.

Outros dados importantes são o inventário com o sistema de irrigação, máquinas, equipamentos e imóveis. Os gastos com água e funcionários também são registrados pelos produtores.

Em abril, estão marcados cursos e reuniões nos núcleos habitacionais. Os cursos de consolidações para análise dos resultados devem ocorrer em maio com os técnicos e produtores rurais.