Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2006 > Financiamento de pesquisas no vale do São Francisco
conteúdo

Notícias

Financiamento de pesquisas no vale do São Francisco

O estímulo às pesquisas para o cultivo de novas variedades agrícolas no vale do São Francisco e o incremento tecnológico para a comercialização do vinho produzido na região foram discutidos em reunião
publicado: 13/02/2009 11h18, última modificação: 20/06/2018 17h03

O estímulo às pesquisas para o cultivo de novas variedades agrícolas no vale do São Francisco e o incremento tecnológico para a comercialização do vinho produzido na região. Esses foram os temas de um encontro da Diretoria da Área de Desenvolvimento Integrado e Infra-estrutura da Codevasf, representada pelo assessor Alvane Ribeiro Soares, com pesquisadores da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Semi-árido) e membros do Instituto do Vinho realizado, na Superintendência Regional da Codevasf em Petrolina.

Na oportunidade, Alvane Ribeiro destacou o trabalho da Codevasf em conjunto com a Embrapa para testar a viabilidade climática e econômica e o manejo das culturas alternativas para o Pólo Petrolina/Juazeiro. Segundo o pesquisador da Embrapa Semi-árido, Paulo Roberto Coelho Lopes, que há dois anos e meio dedica-se aos estudos de diversificação das culturas agrícolas, o suporte financeiro oferecido pela Codevasf contribui decisivamente para os resultados promissores obtidos até o momento. “As pesquisas estão mais avançadas com a cultura do caqui, maçã e pêra, mas estamos buscando informações sobre outras culturas (12 no total) e acredito que em pouco tempo teremos condições de recomendá-las aos agricultores”, relata o pesquisador.

Ao ressaltar o papel empreendedor da Superintendência Regional da Codevasf em Petrolina na ampliação do leque de frutas a serem produzidas nos perímetros irrigados, o gerente regional de Empreendimentos de Irrigação, Luiz Manoel de Santana, enfatizou que a estatal já repassou aproximadamente R$ 1 milhão para os experimentos com as novas culturas agrícolas. “A pretensão da Superintendência é expandir esse valor até 2011. Os recursos para essas experiências devem chegar à cifra dos R$ 3 milhões”, anunciou Luiz Manoel.

O vice-presidente do Instituto do Vinho do Vale do São Francisco, empresário João Santos, expressou contentamento com o desejo da Codevasf de também investir nos projetos que visam agregar valor ao vinho sanfranciscano. “Precisamos analisar a uva de vinho exatamente como uma cultura à parte. Hoje temos muita necessidade de pesquisa para podermos concorrer em termos de qualidade do vinho e de preço no mercado. De modo que ficamos muito contentes com o fato da Codevasf também querer participar desse processo”, disse João, ao lembrar que o vale do São Francisco responde por 15% do vinho tinto produzido no Brasil.

Para que a Codevasf financie o aperfeiçoamento da bebida, o Instituto do Vinho terá que preparar um projeto especificando, entre outros aspectos, objetivos e demandas. Nessa tarefa a Superintendência Regionais prestará toda assistência técnica e jurídica ao Instituto.