Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2006 > Codevasf investe R$ 30 milhões em esgotamento em PE
conteúdo

Notícias

Codevasf investe R$ 30 milhões em esgotamento em PE

Em 2009, a Superintendência da Codevasf em Petrolina (PE) vai entregar o serviço de esgotamento sanitário em sete municípios onde as obras estão em fase de conclusão.
publicado: 13/03/2009 14h49, última modificação: 20/06/2018 17h03

Em 2009, a Superintendência da Codevasf em Petrolina (PE) vai entregar o serviço de esgotamento sanitário em sete municípios onde as obras estão em fase de conclusão. No momento, Afogados da Ingazeira, Sertânia, Exu, Granito, Trindade, Belém do São Francisco e Floresta são beneficiados com esgoto doméstico.

Incluída no Programa de Revitalização da bacia do São Francisco, a ação governamental movimentou R$ 30 milhões em obras e apoio à fiscalização e supervisão técnica.

Um dos maiores contratos é o de Sertânia, no valor de R$ 7 milhões, cuja obra de esgotamento está 30% executada pela empreiteira responsável, TR & M. A conclusão está prevista para o início de agosto. Um pouco mais adiantada está a obra em Trindade, onde a empresa OTL já cumpriu 65% da meta dos também R$ 7 milhões.

Em Afogados da Ingazeira, houve uma interrupção nos trabalhos para aprimorar o projeto básico. A empresa SCAVE recebeu da Codevasf R$ 5,5 milhões para tocar o empreendimento hoje com 26% efetuados. A mesma empreiteira executa obras de esgotamento em outras três cidades. Em Floresta, mais de 25% do contrato de R$ 5 milhões já estão prontos; Exu e Granito, onde as obras estão mais adiantadas com 81% e 85% respectivamente, R$ 2 milhões vão garantir a rede de esgoto para a população local. Já em Belém do São Francisco, às margens do rio São Francisco, a Codevasf liberou R$ 2 milhões para obra que tem cerca de 70% construídos pela empresa Duarte Carvalho.

O superintendente da Codevasf em Petrolina, Luís Frota, exalta os investimentos da instituição no sistema de esgotamento em cidades interioranas. “Nosso campo de atuação abarca regiões com diferentes realidades sociais. Em alguns municípios o sistema de esgotamento sanitário era inexistente ou muito precário como Exu onde 30 mil habitantes não contam com esse serviço”, assinala Frota, ao lembrar que os municípios com obras de esgoto em andamento tem população
estimada em 180 mil habitantes.