Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2006 > Banco Mundial entra nas PPPs da irrigação
conteúdo

Notícias

Banco Mundial entra nas PPPs da irrigação

O Ministério da Integração Nacional, a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), e o Banco Mundial (Bird), assinaram contrato para início dos estudos de licitação para o projeto Baixio de Irecê (BA), dentro do modelo PPP (Parceria Público-Privada). Na oportunidade, o presidente
publicado: 09/08/2006 11h54, última modificação: 20/06/2018 16h58

O Ministério da Integração Nacional, a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), e o Banco Mundial (Bird), assinaram contrato para início dos estudos de licitação para o projeto Baixio de Irecê (BA), dentro do modelo PPP (Parceria Público-Privada). Na oportunidade, o presidente

da Companhia, Luiz Carlos Everton de Farias, reforçou que o Banco Mundial já vem sendo parceiro da empresa em outras oportunidades. “Esse momento representa um marco para a história da irrigação no Brasil”, reforçou. Até dezembro devem ser lançados editais de licitação de dois pólos de agricultura irrigada, com base no modelo PPP: Pontal, em Petrolina (PE), e Baixio de Irecê, na Bahia. Eles terão 7,8 mil e 58 mil hectares, respectivamente, e a expectativa é atrair grandes empresas e multinacionais para a gestão dos pólos. O contrato de R$ 906 mil assinado, ontem (8/08), com o Banco Mundial representa uma das últimas etapas do processo. Estavam presentes à assinatura, os diretores da Codevasf, Clementino Coelho e Jonas Paulo. O ministro da Integração Nacional, Pedro Brito, quer a análise do Bird pronta em 90 dias. "Queremos dar uma proteção, tanto do ponto de vista técnico quanto jurídico, para o governo e investidores", disse o ministro. Quando estiver implementado, esse pólo deverá criar 180 mil empregos diretos e indiretos. O foco será no cultivo de frutas, algodão, milho e cana-de-açúcar. No caso do Baixio do Irecê, um consórcio formado por Codeverde (Odebrecht Participações e Braskem) e pela estatal líbia Lafico (controlada diretamente pelo ditador Muammar Gaddafi) demonstrou grande interesse pelo projeto e é favorito na futura licitação. "O envolvimento do Bird para chancelar a modelagem ou até sugerir mudanças dará credibilidade ao governo e atrairá potenciais interessados do setor privado", reforçou o diretor de engenharia da Codevasf, Clementino Coelho. Outros dois projetos de agricultura irrigada passarão por um processo semelhante de modelagem e de licitação, em parceria com a iniciativa privada. São os pólos de Salitre, em Juazeiro (BA), de 31 mil hectares, e de Jaíba III e IV, no norte de Minas Gerais, de 40 mil. O objetivo é transferir a gestão dos pólos de irrigação atuais para os agricultores, com assistência técnica da Embrapa e acompanhamento da Codevasf. O Modelo PPP é uma oportunidade única tanto para o governo Federal aplicar, de forma eficiente, os recursos públicos quanto para os investidores agrícolas enxergarem o Semi-Árido como uma região apta a receber investimentos e a gerar mais riqueza para o agronegócio nacional. Para se ter uma idéia, com a aplicação do Modelo. É possível que num período de 10 anos, cinco projetos de irrigação (Pontal, Baixio de Irecê, Salitre, Cruz das Almas e Pontal do Sobradinho) reúnam investimentos públicos e privados de aproximadamente R$ 5 bilhões no Semi-Árido.