Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2005 > Alternativa para novos investimentos
conteúdo

Notícias

Alternativa para novos investimentos

O Rabobank concluiu um estudo sobre as principais características da cadeia agroindustrial das frutas de Petrolina (PE) e Juazeiro (BA). O objetivo do estudo foi analisar as perpectivas da região e disponibilizar as informações para os diferentes agentes dessa indústria no mundo e possíveis investidores.
publicado: 10/11/2005 15h00, última modificação: 20/06/2018 16h56

O Rabobank concluiu um estudo sobre as principais características da cadeia agroindustrial das frutas de Petrolina (PE) e Juazeiro (BA). O objetivo do estudo foi analisar as perpectivas da região e disponibilizar as informações para os diferentes agentes dessa indústria no mundo e possíveis investidores.

Com especificações detalhadas, o estudo apresenta peculiaridades da região relacionadas ao clima, infra-estrutura logística, e de comercialização de frutas, destacando pontos fortes, e fracos, riscos e oportunidades. A Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba disponibilizou dados e apoio logístico para a elaboração do trabalho. O Rabobank possui mais de 100 anos no mercado, sendo hoje um dos 25 maiores bancos do mundo, e é conhecido pelo seu foco no segmento agroindustrial no mundo inteiro.

Entre as informações apontadas no estudo está a de que o Vale do São Francisco é uma região bem sucedida na produção de uvas e mangas, dentre outras frutas e verduras. O clima e a tecnologia permitem acessar o mercado de forma lucrativa. No momento há 120 mil há irrigados em produção e há estimativa de cerca de 68 mil ha de terra com infra-estrutura em construção. O total de área com potencial chega a 360 mil ha.

Esse potencial representa uma oportunidade para empresas investirem a médio e a longo prazos, mas ressaltam que a expansão do setor de frutas e verduras deve ser bem organizado administrando o risco de super-ofertar o mercado de uma única fruta, afirma o documento.

Como pontos fortes, o estudo aponta entre as condições favoráveis o clima, a abundância de água; o fácil acesso aos portos; e utilização (de um modo geral) de tecnologia de ponta na produção e na pós colheita, o que em suma, permitem explorar boas janelas de mercado.

Os fatores apontados como críticos estão relacionados aos altos custos logísticos, e a necessidade de mais pesquisa até ter culturas alternativas à uva e manga com qualidade e lucratividade para acessar o mercado internacional.. Por fim, o estudo mostra que o Vale do São Francisco provou que é uma plataforma de exportação de manga e uva bastante interessante, contando com agentes bem estruturados tecnicamente, produzindo um produto de boa qualidade final.

Para o futuro, o estudo toca na sustentabilidade econômica de longo prazo da região, apontando a importância da diversificação da produção de frutas da região, e a busca de outros mercados como o asiático.