Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2005 > Barragem de São Gregório, em Minas Gerais
conteúdo

Notícias

Barragem de São Gregório, em Minas Gerais

As obras de construção da barragem de São Gregório, localizada entre os municípios de Ponto Chique e Campo Azul, em Minas Gerais, deverão estar concluídas nos próximos noventa dias. A informação é do superintendente da Codevasf em Minas Gerais, Anderson Chaves. Os trabalhos, que tiveram início em setembro de 2000, foram reiniciados no início deste ano, após dois anos de paralisação devido à falta de recursos orçamentários.
publicado: 08/08/2005 17h15, última modificação: 20/06/2018 16h57

As obras de construção da barragem de São Gregório, localizada entre os municípios de Ponto Chique e Campo Azul, em Minas Gerais, deverão estar concluídas nos próximos noventa dias. A informação é do superintendente da Codevasf em Minas Gerais, Anderson Chaves. Os trabalhos, que tiveram início em setembro de 2000, foram reiniciados no início deste ano, após dois anos de paralisação devido à falta de recursos orçamentários.

Segundo Chaves, o reinício das obras só foi possível graças à assinatura, no final de 2004, de um aditivo ao contrato no valor de 2 milhões e 400 mil reais. Com a liberação dos recursos, provenientes do orçamento próprio da Codevasf, a Cross Engenharia, empresa responsável pela obra, está concluindo o maciço de terra, o enrocamento, o plantio de grama e a montagem final da descarga de fundo da barragem.

Desde que assumiu a direção da superintendência regional em 2003, Anderson Chaves colocou a conclusão da barragem como uma de suas prioridades. Ele explica a sua decisão por entender que a barragem vai incrementar a agricultura familiar naquela região, através de pequenas irrigações, beneficiando direta e indiretamente mais de 3 mil pequenos produtores rurais que passam por muitas dificuldades nos períodos de seca, servindo como fonte hídrica para o consumo humano e animal.

A um custo final de R$3.793.361,05, a barragem de São Gregório irá inundar uma área de 130 hectares, com a acumulação de 10.6 milhões de metros cúbicos de água. Além de perenizar o rio do mesmo nome, que é intermitente a maior parte do ano.