Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2004 > Programa de combate à desertificação
conteúdo

Notícias

Programa de combate à desertificação

O presidente da Codevasf, Luiz Carlos Everton de Farias, participa hoje, 06, junto com a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, em Caicó (RN), da apresentação do Programa de Ação Nacional de Combate à Desertificação (PAN).
publicado: 06/12/2004 10h25, última modificação: 20/06/2018 16h54

O presidente da Codevasf, Luiz Carlos Everton de Farias, participa hoje, 06, junto com a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, em Caicó (RN), da apresentação do Programa de Ação Nacional de Combate à Desertificação (PAN).

O conjunto de medidas do programa tem o objetivo de identificar as causas e evitar o avanço da desertificação nas áreas em que ela pode ocorrer. Entre as estratégias propostas pelo PAN está o fortalecimento do papel de governos, comunidades locais e proprietários de terras no combate aos efeitos da seca.

Participam também da apresentação do PAN governadores e representantes das áreas susceptíveis à desertificação – distribuídas pelos nove estados nordestinos.

Na ocasião estão sendo assinados convênios entre o Ministério do Meio Ambiente e governos estaduais para a implementação do programa e para a elaboração de programas de ação estaduais para combate à desertificação.

Até 2007, o governo federal investirá R$ 23,5 bilhões na execução do PAN. Cerca de 90% desses recursos servirão para o combate à pobreza e à desigualdade social, incluindo o fortalecimento da agricultura familiar.

A desertificação é um processo de degradação ambiental que ocorre nas regiões com clima árido, semi-árido e sub-úmido seco em praticamente todo o globo, abrigando principalmente populações pobres. É causada por alterações climáticas e pela interferência humana.

No Brasil, as regiões afetadas pela seca e pela desertificação abrangem parte dos estados do Nordeste, de Minas Gerais e do Espírito Santo. No Semi-Árido brasileiro – uma área de quase 900 mil quilômetros quadrados – vivem cerca de 18 milhões de pessoas.