Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2004 > CODEVASF/SE INICIA MONTAGEM DO BANCO DE SEMENTES FLORESTAIS
conteúdo

Notícias

CODEVASF/SE INICIA MONTAGEM DO BANCO DE SEMENTES FLORESTAIS

publicado: 20/07/2004 08h15, última modificação: 17/08/2006 16h06

A CODEVASF/SE já está na fase final de elaboração do projeto para instituir uma rede de sementes florestais para o baixo São Francisco, que deverá ser encaminhado para o Fundo Nacional do Meio Ambiente na tentativa de captar recursos. O objetivo é obter sementes de qualidade e de alto vigor genético para o processo de restauração florestal de todo o baixo São Francisco e de outras áreas do Vale e do Estado. A Empresa conta com o apoio da Embrapa, INCRA, IBAMA, Universidade Federal de Sergipe e Companhia Hidroelétrica do São Francisco (CHESF).

Uma das grandes metas do Programa de Revitalização do Rio São Francisco é a restauração da matas ciliares que integram sua bacia. Porém, em Sergipe, a falta de sementes e mudas florestais dificulta todo o processo de recuperação florestal no baixo São Francisco. Hoje, Sergipe é um dos estados do Nordeste que estão fora do sistema nacional da rede de sementes florestais. O Distrito de Irrigação de Betume (DIB) já se prontificou a instalar e apoiar a condução do viveiro, aspecto que irá fortalecer o programa de sementes. Por meio da articulação institucional, a empresa já conseguiu assegurar a instalação da câmara fria para a guarda das sementes, um dos itens de custo mais elevado. Estão em fase de planejamento os cursos de capacitação para coleta e beneficiamento de sementes e o sistema de gestão do banco de sementes.

 O projeto prevê o envolvimento dos jovens rurais do Projeto Amanhã nesta atividade, que será mais uma alternativa de renda para as populações do Baixo São Francisco. O engenheiro florestal da CODEVASF e coordenador do projeto, Ronaldo Fernandes Pereira, acredita que a população local, ao enxergar no processo de coleta de sementes e de produção de mudas uma possibilidade de geração de renda, vai valorizar e preservar as manchas florestais existentes, que hoje são vitais para a manutenção dos pequenos cursos d’água do Baixo São Francisco."Ao envolver as comunidades locais, sobretudo os jovens, no processo de revitalização do rio, o projeto vai promover a conscientização ambiental e a utilização sustentável dos recursos naturais", disse Ronaldo Fernandes