conteúdo

Salitre - Etapa I

por Antônio Luiz de Oliveira Correa da Silva publicado 31/07/2018 18h34, última modificação 03/05/2021 14h40

Localização: Município de Juazeiro - BA – Submédio São Francisco
Polo de Desenvolvimento: Petrolina/Juazeiro
Área Irrigável: 5.099 ha
Área Ocupada: 5.099 ha (1.684 ha – lotes familiares; 2.772 ha – lotes empresariais; 643 ha – outros)
Fonte hídrica: Rio São Francisco
Vazão outorgada vigente: 79.606.800 m3.ano-1
Investimentos até 2020: R$ 915.765.710,87
Dados da infraestrutura: 41,57 km de canais; 159,5 km de drenos; 116,3 km de estradas; 6,38 km de adutoras; 6 estações de bombeamento (EB); e 8 reservatórios
Início de funcionamento: 1998

O PPI Salitre foi concebido em estudo de viabilidade para abranger 23.840 ha, sendo 5.585 ha na Área Chesf, 15.695 ha na Área Salitre e 2.560 ha na Área FAO. No Projeto Básico foi incorporada uma área de 5.370 ha, o que elevou a área para 29.210 ha. O Projeto Básico, realizado em 1998, define a captação de água no rio São Francisco por meio de uma estação de bombeamento, a qual lança a água para uma rede de adução formada por canis, inclusive trechos em tubulação e em aqueduto. Ao longo dessa rede estão previstas nove estações de bombeamento e nove reservatórios (CODEVASF, 1999; CODEVASF, 2014d).

Para efeito de construção, o projeto foi dividido em cinco etapas, sendo que a primeira etapa, já construída e em operação, é constituída de 255 lotes agrícolas destinados a pequenos produtores, que perfazem um total de 1.684,21 ha irrigáveis e 133,05 ha não irrigáveis e também de 67 lotes agrícolas destinados a empresas, que perfazem um total de 3.628,52 ha, sendo 2.771,55 ha irrigáveis e 856,97 ha não irrigáveis (CODEVASF, 1999; CODEVASF, 2014d).

Produção agrícola

 

salitre_vbp.jpg

Figura 1: Evolução do Valor Bruto de Produção no projeto Salitre, entre os anos 2016 e 2020.
Fonte: Do autor, 2021.

salitre_culturas.jpg

Figura 2: Principais espécies cultivadas de acordo com o VBP no projeto Salitre, no ano de 2020.
Fonte: Do autor, 2021.

Características da produção

O projeto Salitre é o mais jovem de todos os projetos da Codevasf, e sua produção teve início em 2010 e desde então tem evoluído gradativamente. Como pode ser observado na Figura 1, a área com as culturas temporárias, que são cultivadas como forma de garantir renda nos primeiros anos, tem reduzido enquanto a área com culturas perenes tem aumentado. Em 2011 as culturas temporárias representavam 41% da área cultivada e 99% do VBP. Em 2020 essa porcentagem passou a ser de 5% e 11%, respectivamente.

Embora o melão não esteja mais entre as culturas mais expressivas, essa cultura já foi a principal responsável pelo VBP do projeto, representando 56% do total em 2011. Porém essa participação foi reduzindo ao longo dos anos, devido a implantação de cultivos permanentes e outras culturas temporárias, como a cebola, e hoje representa apenas 1% do VBP total.

Os principais cultivos do projeto são banana, cana-de-açúcar, manga, cebola, goiaba e uva, representando 39%, 21%,16%, 8%, 5% e 5% do VBP total, respectivamente (Figura 2).

A área empresarial vem crescendo nos últimos três anos e em 2020 já representou 25% do VBP total do projeto (Figura 1).

Os principais sistemas de irrigação utilizados são o gotejamento, superfície e microaspersão

Potencialidades

Estima-se a geração de 2.794 empregos diretos, 4.191 empregos indiretos e 950 induzidos, com uma produção de 228.565 toneladas de produtos e um VBP de R$ 74.406.732, em 2020.