Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2020 > Codevasf lança 50 mil alevinos de matrinxã na bacia do São Francisco em MG; espécie é ameaçada de extinção
conteúdo

Notícias

Codevasf lança 50 mil alevinos de matrinxã na bacia do São Francisco em MG; espécie é ameaçada de extinção

publicado: 22/04/2020 17h08, última modificação: 29/04/2020 16h34

Aproximadamente 50 mil alevinos da espécie matrinxã foram soltos pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) no lago da barragem de Três Marias e em rios e córregos do Alto e do Médio São Francisco em Minas Gerais, em recentes ações de peixamento. A espécie está ameaçada de extinção na bacia do São Francisco; por essa razão, sua produção foi intensificada no laboratório do Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura de Três Marias, implantado e mantido pela Codevasf há mais de 40 anos.

Matrinxã“Quando o termo revitalização ainda nem era citado com a importância que passou a ter hoje, a Codevasf já implantava centros como esse, capazes de desenvolver pesquisas e ações altamente especializadas e eficientes para recuperar a fauna e preservar a vida nos rios e bacias. O peixamento é uma das nossas ações de sucesso em revitalização de bacias hidrográficas”, afirma Fábio Miranda, diretor da Área de Revitalização da empresa.

De acordo com Julimar Souza, chefe do Centro, são usados nesses peixamentos alevinos com tamanho médio de 25 centímetros e peso aproximado de 200 quilogramas — com essa configuração eles estão aptos a escapar de seu predador natural, a espécie tucunaré.

O trabalho foi dividido em sete ações de soltura e teve início na primeira semana do mês, em Três Marias, com o peixamento de dez mil unidades de matrinxã no córrego Riacho Frio; outras cinco mil unidades foram lançadas em seguida no córrego Extrema Grande e 20 mil no lago da barragem de Três Marias. A barragem do Bico da Pedra, situada em Janaúba, recebeu dez mil alevinos de matrinxã e cinco mil de curimatá-pacú. Ainda está previsto para os próximos dias o lançamento de cinco mil unidades de matrinxã e de dez mil de curimatã-pacú na foz do rio Picão, no município de Bom Despacho.

Matrinxã MG“Essa iniciativa da Codevasf busca não só o repovoamento da ictiofauna de rios, lagoas e grandes reservatórios hídricos da bacia do rio São Francisco, mas também a manutenção e o aumento dos estoques pesqueiros, garantindo o futuro da pesca e gerando renda para a população ribeirinha”, explica Marco Câmara, superintendente da Codevasf em Minas Gerais. Segundo Câmara, o Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura de Três Marias passará em breve por um amplo processo de revitalização.

Para o prefeito de Três Marias, Adair Divino da Silva, que acompanhou os peixamentos realizados pela Codevasf no município neste mês, a ação ficará registrada na história local por representar o início do retorno do matrinxã — espécie de elevado interesse econômico e ambiental que havia sido extinta na represa de Três Marias. “Só temos que agradecer a todos os técnicos da Codevasf, que há anos vêm desenvolvendo esse trabalho de reprodução por indução artificial”, afirma.