Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2007 > Pulmões verdes irão garantir alimento para rebanhos do projeto Pontal
conteúdo

Notícias

Pulmões verdes irão garantir alimento para rebanhos do projeto Pontal

A Codevasf acaba de dar inicio, no projeto Pontal Sequeiro, a uma ação decisiva para os criadores de caprinos e ovinos da região do Pontal Sul, área rural de Petrolina, no semiárido pernambucano. Trata-se da implantação de uma fonte alternativa e segura de produção de alimento para os rebanhos que, por ser cultivada com uso da irrigação, garantirá a sobrevivência para os animais mesmo em épocas de grande estiagem – como a que o nordeste brasileiro vem enfrentando nos últimos dois anos.
publicado: 02/07/2013 15h30, última modificação: 20/06/2018 17h16

A Codevasf acaba de dar inicio, no projeto Pontal Sequeiro, a uma ação decisiva para os criadores de caprinos e ovinos da região do Pontal Sul, área rural de Petrolina, no semiárido pernambucano. Trata-se da implantação de uma fonte alternativa e segura de produção de alimento para os rebanhos que, por ser cultivada com uso da irrigação, garantirá a sobrevivência para os animais mesmo em épocas de grande estiagem – como a que o nordeste brasileiro vem enfrentando nos últimos dois anos.

A alimentação animal conta com cinco áreas, chamadas de pulmões verdes, divididas em 12 subáreas, que beneficiam 67 famílias, o que totaliza mais de 300 pessoas da região do Pontal. Com uma produtividade de 60 toneladas por hectare de matéria seca no ano, com ênfase no cultivo de milho, sorgo e capim elefante, tem-se a perspectiva de uma produção anual total de 3,6 mil toneladas.

O volume de matéria seca produzido é capaz de prover toda a quantidade necessária para alimentar as mais de cinco mil matrizes de caprinos e ovinos dos 67 produtores durante um ano e meio.

Além desse beneficio, a ação proporcionará a produção constante de forragem, o que auxilia o processo de difusão e adoção de tecnologia de convivência com o semiárido – como por exemplo a fenação (técnica de conservação das plantas forrageiras, desidratadas naturalmente em campo ou em secadores artificiais) e ensilagem (processo de fermentação que tem por objetivo a conservação da forragem no seu estado úmido na ausência de ar).

De acordo com o superintendente regional da Codevasf em Pernambuco, Luiz Manoel de Santana, duas das cinco áreas já foram testadas e começarão a receber sementes.

"As três áreas restantes serão testadas na próxima semana. Além disso, conseguimos 1.800 kg de sementes de milho forrageiro, que serão distribuídos para os produtores. Umas das principais características dessas sementes é a precocidade, uma condição de grande importância em um momento de seca como a que vivemos, pois possibilitará a produção de forragem o mais rápido possível”, informou.

Luiz Manoel lembrou ainda que outros pulmões verdes serão implantados no Pontal, aumentando o número de famílias beneficiadas. “Em breve iniciaremos a construção do Pontal Norte, onde iremos implantar outros pulmões verdes. Com a conclusão das obras, os 140 produtores do Pontal Sequeiro poderão ser beneficiados pelas áreas, se assim os agricultores escolherem”, conclui.