Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2007 > Perímetro de Irrigação Barreiras - Bloco 2 fortalece economia no Sertão de Pernambuco
conteúdo

Notícias

Perímetro de Irrigação Barreiras - Bloco 2 fortalece economia no Sertão de Pernambuco

Com um ano em operação, o Perímetro Irrigado Barreiras - Bloco 2 já começa a redesenhar a paisagem do município de Tacaratu, Sertão de Pernambuco. O reassentamento possui 462 hectares irrigáveis, com lotes de 1,5 ha; 3 ha; 4,5 ha e 6 ha.
publicado: 27/06/2011 16h43, última modificação: 20/06/2018 17h11

Com um ano em operação, o Perímetro Irrigado Barreiras - Bloco 2 já começa a redesenhar a paisagem do município de Tacaratu, Sertão de Pernambuco. O reassentamento possui 462 hectares irrigáveis, com lotes de 1,5 ha; 3 ha; 4,5 ha e 6 ha. Esse é o décimo empreendimento do complexo de Perímetros Irrigados do Sistema Itaparica, construído pela Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) em virtude da construção do lago da Usina Hidrelétrica Luiz Gonzaga (Usina Itaparica).

Os agricultores reassentados receberam as unidades agrícolas equipadas com moderno sistema de irrigação por microaspersão, que contêm componentes que possibilitam programar a quantidade de horas e a vazão, resultando em uma operação de custo mais baixo, com eficiência de até 90%.

O Sistema Itaparica está localizado em uma região estratégica do Semiárido nordestino que, graças às águas do rio São Francisco, dispõe de uma das maiores taxas de produtividade do mundo para culturas tropicais. O clima tropical e as tecnologias de irrigação permitem a programação das safras durante todo o ano.


Desenvolvimento - O início da operação do Perímetro Irrigado Barreiras - Bloco 2 também pode contribuir com o desenvolvimento econômico do município através da agricultura irrigada, que entre outros fatores, produz alimentos e gera emprego e renda, influenciando no desenvolvimento da região.

Segundo dados do Banco Mundial, o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em municípios que possuem perímetros irrigados chega a 6,43% ao ano, enquanto que nos municípios que não possuem perímetros irrigados o crescimento fica em torno de 2,53%.

Em Pernambuco, a agricultura familiar é responsável por 70% de todo o PIB rural do estado e por sete de cada dez empregos gerados no campo. “O cumprimento do acordo da Chesf com as famílias que aguardavam o reassentamento no Perímetro Irrigado Barreiras – Bloco 2 trará benefícios, não só para a população reassentada, mas irá contribuir com a melhoria na qualidade de vida tanto da comunidade que vive no perímetro irrigado, como também do município e da região. Todos os nossos esforços, a partir de agora, serão para garantir a autonomia dessas famílias e o fortalecimento da agricultura familiar no Sistema Itaparica”, reforça o coordenador do Empreendimento Itaparica (CEI), Paulo Barbosa, da Chesf.


Ater - Todos os agricultores reassentados do Perímetro Irrigado Barreiras - Bloco 2 contam com Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater), coordenada pela Codevasf, por meio do termo de cooperação técnica firmado com a Chesf, para suporte ao desenvolvimento da agricultura irrigada do Sistema Itaparica.

Grande parte dos agricultores reassentados já iniciou seus plantios com cultivos de ciclo curto (temporários), semitemporários e perenes. O agricultor José Cícero Soares, conhecido como Tita, foi um dos primeiros a receber o lote. Com seis hectares, todo em produção, o agricultor já obteve resultados positivos de plantios de ciclo curto, como melancia, milho e feijão. Ele chega a plantar até três culturas consorciadas e afirma que obtém bom desempenho. “Este lote mudou a minha vida. Com o que ganhei aqui já consegui comprar o que antes não tive oportunidade. O melhor de tudo é que trabalho no que é meu, junto com a minha família”, revela o agricultor.

“Realizamos transferência de tecnologias, com a apresentação de alternativas de mercado, e, por isso, promovemos cursos, capacitações e intercâmbios técnicos. Todo esse trabalho é realizado respeitando as escolhas dos agricultores, sem interferir nos aspectos culturais”, explica o gerente de irrigação, Luiz Manoel de Santana, da Superintendência Regional da Codevasf em Petrolina (PE).