Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2007 > Peixamento com Surubim em Alagoas
conteúdo

Notícias

Peixamento com Surubim em Alagoas

Mais de 500 mil peixes foram colocados pela Codevasf na Várzea do rio Marituba, na localidade de Marituba do Peixe, na zona rural de Penedo em Alagoas. Entre as espécies soltas no local, estão Curimatã, Pacamã e, principalmente, Surubim
publicado: 17/12/2007 17h02, última modificação: 20/06/2018 17h08

Mais de 500 mil peixes foram colocados pela Codevasf na Várzea do rio Marituba, na localidade de Marituba do Peixe, na zona rural de Penedo em Alagoas. Entre as espécies soltas no local, estão Curimatã, Pacamã e, principalmente, Surubim, considerada uma das espécies de peixes ameaçadas de extinção, com peso médio de mais de 1,5 quilos.

Para o superintendente regional da Codevasf em Alagoas, Antônio Nélson Oliveira de Azevedo, " a Codevasf tem um compromisso social para com a região da Marituba do Peixe, e assume também um compromisso ambiental com esta área. O peixamento não é um paliativo, é uma ação que tem como objetivo garantir a sobrevivênvia de vocês e de suas famílias".

Durante o peixamento, o fiscal da Colônia de Pescadores Z-12, Manoel dos Santos, lembrou que "só este ano foram realizadas mais de três ações como essa, totalizando cerca de 1,5 milhão de peixes colocados na várzea, e isso tem garantido o nosso sustento até agora". "O que estamos fazendo hoje é para garantir o amanhã" disse o pescador.

O Peixamento consiste no povoamento com espécies nativas de córregos, pequenos rios e açudes públicos de forma que o peixe, quando pequeno, encontre um ambiente favorável ao seu desenvolvimento, somente descendo para um grande lago ou rio quando adulto e em condições de enfrentar seus principais predadores. Esta é uma ação que o governo federal, por meio do Ministério da Integração Nacional e da Codevasf, vem desenvolvendo em todas as áreas de atuação da Companhia, e faz parte do Programa de Revitalização do rio São Francisco.

BERÇÁRIO NATURAL

A várzea do rio Marituba, chamada de pantanal alagoano, é considerada pelos pesquisadores como um importante berçário natural da fauna e flora da região, localizada entre os municípios de Penedo, Piaçabuçu e Feliz Deserto em Alagoas, apesar de sofrer impactos ecológicos negativos pelos efeitos das barragens nos rios São Francisco, Marituba e Piauí, como também pela expansão da monocultura de cana de açúcar.

Depois de várias pesquisas muitos estudiosos elaboraram sugestões para o plano de manejo da APA (Área de Preservação Ambiental) de Marituba do Peixe com o objetivo de fomentar a recuperação gradativa das áreas degradadas e a manutenção das comunidades tradicionais que vivem no entorno da Várzea. Entre as várias idéias está a mudança de categoria de Unidade de Conservação (UC), de APA, para Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS).