Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2007 > PE: Convênio que vai beneficiar 893 agricultores com kits de irrigação é assinado durante inauguração de barragem
conteúdo

Notícias

PE: Convênio que vai beneficiar 893 agricultores com kits de irrigação é assinado durante inauguração de barragem

Num momento de seca – apontada como umas das maiores registradas nos últimos quarenta anos no semiárido nordestino-, os moradores das área de sequeiro do município de Afrânio, sertão de Pernambuco, a 785 quilômetros de Recife, foram beneficiados com a inauguração da barragem de Barreiro Grande, na noite da última quinta-feira (21). O empreendimento vai beneficiar cerca de 12 mil pessoas da região.
publicado: 22/02/2013 16h54, última modificação: 27/02/2013 13h24

Num momento de seca – apontada como umas das maiores registradas nos últimos quarenta anos no semiárido nordestino-, os moradores das área de sequeiro do município de Afrânio, sertão de Pernambuco, a 785 quilômetros de Recife, foram beneficiados com a inauguração da barragem de Barreiro Grande, na noite da última quinta-feira (21). O empreendimento vai beneficiar cerca de 12 mil pessoas da região.

A obra foi executada pelo Ministério da Integração Nacional, por meio da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), e foi entregue pelo ministro Fernando Bezerra Coelho e o presidente da empresa, Elmo Vaz. Além de centenas de moradores, a solenidade, realizada na localidade do Arizona, reuniu famílias de dezenas de sítios da região e lideranças políticas de Afrânio e Petrolina.

Orçada em cerca de R$ 1,6 milhão, a barragem de Barreiro Grande é considerada uma das grandes obras de armazenamento de água da região, com capacidade para comportar mais de 1 milhão de metros cúbicos de água. Em seu discurso durante a solenidade, o ministro Fernando Bezerra apontou a barragem como uma grande iniciativa do Governo Federal a começar pelo valor social da obra e os investimentos do ponto de vista financeiro exclusivos do programa de convivência com a estiagem.

“Essa barragem é fruto do esforço e da dedicação da comunidade de Afrânio que, como outras que vivem em áreas de sequeiro, sabe bem o que sofre com as longas estiagens. Estamos nos preparando com ações planejadas e concretas para aos poucos garantir água o ano inteiro independentemente da escassez de chuvas”, disse Bezerra.

O ministro da Integração Nacional também pontuou as dificuldades das populações sertanejas para conseguir água e destacou a importância das ações emergenciais do Governo Federal, a exemplo dos carros-pipa. “Não podemos deixar de destacar o Bolsa Estiagem que vem beneficiando cerca de 900 mil pessoas, além do Garantia-Safra. A presidente Dilma Roussef, com seu compromisso e carinho pelo povo do Nordeste, tem pedido olhar especial para o Programa Água para Todos que já avança na distribuição de cisternas por meio da Codevasf”, acrescentou o ministro, apontando que a meta é implantar 750 mil cisternas em todo Nordeste e mais de 3 mil pequenas barragens.

Mais ações

Em outro compromisso da agenda em Pernambuco, Fernando Bezerra assinou convênio destinando R$ 19,45 milhões (R$ 17,69 milhões federais e R$ 1,76 milhão de contrapartida estadual) para implantação de 100 barragens subterrâneas e 893 kits de irrigação, que vão beneficiar municípios em situação de emergência. A assinatura foi durante o encontro com prefeitos, realizado pelo Governo de Pernambuco, em Gravatá, agreste do estado.

Fernando Bezerra Coelho, destacou que é preciso encarar de perto o grande desafio colocado para a União, o estado e os municípios: a estiagem. "Precisamos vencer o desafio de garantir a universalização da oferta de água", declarou. Na ocasião, o ministro assinou termos aditivos que possibilitam às prefeituras executar diretamente dois convênios do Programa Água para Todos, dando mais agilidade à contratação das obras. O investimento da Integração Nacional, por meio desses convênios, totaliza R$ 183 milhões para a construção de barreiros e sistemas coletivos de abastecimento no estado.

O enfrentamento da seca foi apontado como um das principais preocupações pelos prefeitos presentes ao encontro, principalmente os do agreste e sertão pernambucanos, que lidam com a mais severa estiagem dos últimos 40 anos.