Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2007 > PAC fortalece Codevasf
conteúdo

Notícias

PAC fortalece Codevasf

Cerca de R$ 483 milhões serão acrescidos no orçamento da Codevasf para 2007, no âmbito do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). O foco é a infra-estrutura hídrica, com ações de revitalização e desenvolvimento hidroagrícola
publicado: 23/01/2007 16h56, última modificação: 20/06/2018 17h06

Cerca de R$ 483 milhões serão acrescidos no orçamento da Codevasf para 2007, no âmbito do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), anunciado pelo governo federal. O foco dos investimentos será a infra-estrutura hídrica, com ações nas áreas de revitalização e desenvolvimento hidroagrícola nos pontos de atuação da Companhia. O PAC lista 300 obras consideradas prioritárias, envolvendo cerca de R$ 503,9 bilhões de investimentos públicos e privados para os próximos quatro anos.

No tocante à revitalização do São Francisco, o montante orçado até 2010 é de R$ 1,345 bilhão, estando ainda destinados R$ 230 milhões para a revitalização do Parnaíba. Para o ano de 2007, o investimento adicional deve ser da ordem de R$ 247,70, sendo a maior parte dos recursos destinada para a revitalização do rio São Francisco (R$ 147 milhões). As outras ações priorizadas são as melhorias de navegação (R$ 20 milhões) e revitalização do rio Parnaíba (R$ 80 milhões). A Adutora do Agreste também foi contemplada com recursos de R$ 2,5 milhões.

Para o diretor da Área de Revitalização das Bacias Hidrográficas, Jonas Paulo Neres, as ações da Codevasf inseridas no PAC "é um reconhecimento da atuação da Companhia no tocante às questões que enfrentamos com a maior seriedade e profundidade, como é o caso da revitalização do São Francisco e a irrigação". Para ele, a qualificação técnica, a presença física da Codevasf na área, a integração com os demais órgãos que atuam na região e a interlocução com a sociedade civil foram fatores que têm credenciado a Codevasf como órgão adequado para executar diversas ações no âmbito do PAC.

Sobre a hidrovia do São Francisco, incluída no Programa como melhoria de navegação, Jonas Paulo avalia que "isso mostra que todo o trabalho que estamos fazendo foi reconhecido e que agora podemos concluir esse importante projeto que irá alavancar a economia no pólo Petrolina/Juazeiro e oeste baiano, servindo como canal para escoar a produção de grãos da região, que abrange mais de R$ 1,5 milhão de hectares".

IMPACTO POSITIVO

No que diz respeito ao desenvolvimento hidroagrícola, o PAC destina, para o ano de 2007, cerca R$ 270,50 milhões em diversos projetos da Codevasf na área de irrigação, de um total de R$ 740 milhões orçados até 2010. Os projetos contemplados são Marituba, em Alagoas; Estreito, Baixio de Irecê e Salitre, na Bahia; Jaíba III e IV, Jequitaí e Barragens Minas Gerais, em Minas Gerais; Jacaré Curituba, em Sergipe; Pontal, em Pernambuco, e Canal do Xingó, na divisa da Bahia e Sergipe.

Para o diretor da Área de Desenvolvimento Integrado e Infra-estrutura e Área de Empreendimento de Irrigação, Clementino Coelho, "o PAC representa uma mudança de paradigma ao tratar a infra-estrutura com celeridade, buscando desenvolver ações que as regiões brasileiras necessitam". Sobre os recursos destinados à irrigação, ele considera que a região de atuação da Codevasf está bem contemplada, com aporte significativo de recursos nos projetos prioritários para o desenvolvimento hidroagrícola, suficiente para retomar e concluir diversas obras.

A expectativa é que o PAC tenha um impacto positivo quanto às PPPs (Parcerias Público-Privadas). "Estamos com o grande desafio de assegurar o êxito dos projetos PPPs que a Codevasf está desenvolvendo. Acreditamos que o sucesso das PPPs marcará uma nova política de irrigação no Brasil, tendo foco no mercado e na sustentabilidade econômica. Assegurando esses focos poderemos colher benefícios sociais duradouros", conclui Clementino.