Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2007 > Folha de S. Paulo: Petrobras analisa cultivo de cana no semiárido
conteúdo

Notícias

Folha de S. Paulo: Petrobras analisa cultivo de cana no semiárido

O Vale do São Francisco recebe, nesta semana, a visita de técnicos da Petrobras Biocombustível, que vai analisar o solo e o clima no semiárido para produção de cana-de-açúcar. A equipe, que passará por perímetros irrigados da Codevasf, deve iniciar a prospecção e montar relatórios à direção da empresa, que decidirá os investimentos futuros.
publicado: 13/10/2011 10h57, última modificação: 20/06/2018 17h12

O Vale do São Francisco recebe, nesta semana, a visita de técnicos da Petrobras Biocombustível, que vai analisar o solo e o clima no semiárido para produção de cana-de-açúcar. A equipe, que passará por perímetros irrigados da Codevasf, deve iniciar a prospecção e montar relatórios à direção da empresa, que decidirá os investimentos futuros. A informação foi divulgada pela Folha de S. Paulo nessa quarta-feira (12).

A região tem prioridade de investimentos do governo federal, motivados, principalmente, pelo sistema de irrigação agrícola. No novo programa do Ministério da Integração Nacional, serão contemplados 200 mil hectares para irrigação, dos quais 125 mil vão ser destinados à plantação de cana-de-açúcar para a produção de etanol.

A Petrobras Biocombustível não quis se manifestar sobre o assunto e informou que qualquer decisão da empresa será feita por meio de um comunicado ao mercado. Sua atuação na região, porém, será feita por meio de usinas parceiras, como a Guarani.

Para a produção de cana, a região oferece estabilidade climática, como alta incidência de luz solar e chuvas concentradas em poucos meses do ano, impedindo inclusive a proliferação de doenças como a ferrugem alaranjada. Segundo dados do governo, a produtividade por hectare de cana no semiárido chega a 200 toneladas.

O programa de irrigação na região deve alcançar R$ 5 bilhões por meio de PPPs (parcerias público-privadas). Outro segmento que está atraindo investimentos é a citricultura. Entre as empresas envolvidas está a Cutrale, que deve plantar laranja na região para exportação de suco.

Com informações da Folha de S. Paulo