Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2007 > Estudos sobre corredor logístico multimodal do São Francisco
conteúdo

Notícias

Estudos sobre corredor logístico multimodal do São Francisco

Consultores do Banco Mundial apresentaram escopo dos estudos que deverão ser realizados sobre o corredor multimodal de integração regional do São Francisco, a pedido do Ministério da Integração e da Codevasf.
publicado: 05/04/2011 09h33, última modificação: 20/06/2018 17h10

Consultores do Banco Mundial apresentaram escopo dos estudos que deverão ser realizados sobre o corredor multimodal de integração regional do São Francisco, a pedido do Ministério da Integração e da Codevasf. O assunto foi discutido ontem (04), no Banco Mundial, em Brasília (DF). Foram apresentados o resumo do projeto, desafios a serem superados e apresentação geral de corredores multimodais logísticos no mundo. Além da Codevasf, participaram representantes do Ministério dos Transportes, BNDES, governos da Bahia e Pernambuco.

Após a apresentação da proposta, uma comitiva formada por técnicos do Banco Mundial, Ministérios da Integração Nacional e dos Transportes, além de representantes da Codevasf, Bndes e dos governos da Bahia e de Pernambuco, irá realizar uma visita técnica, no decorrer desta semana (de 05 a 08 de abril), à região do vale do São Francisco que irá integrar o corredor multimodal de integração regional. Nos dias 05 e 06, o grupo visita o município de Luiz Eduardo Magalhães, na Bahia (representando o oeste baiano), e nos dias 07 e 08, a delegação estará no polo Juazeiro/Petrolina.

O objetivo da visita é realizar a averiguação do movimento e da demanda de carga da região, bem como o diagnóstico do atual sistema logístico disponível, visando a estruturação pelo Banco Mundial de uma modelagem jurídico-econômica do corredor multimodal logístico de integração do nordeste brasileiro, denominado “Projeto Logístico Multimodal do São Francisco”. Nesse contexto, em um primeiro momento, a atenção será dedicada às condições físicas e ao movimento de carga da rodovia BR 242, da hidrovia do São Francisco, dos terminais fluviais de Petrolina (PE) e Juazeiro (BA), da Ferrovia Centro Atlântica-FCA e do projetado ramal Petrolina-Parnamirim da Transnordestina.