Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2007 > Elmo Vaz faz visita técnica à Hidrovia Tietê-Paraná
conteúdo

Notícias

Elmo Vaz faz visita técnica à Hidrovia Tietê-Paraná

O presidente da Codevasf, Elmo Vaz, participou nesta quarta (25), em São Paulo, de visita técnica ao sistema hidroviário Tietê-Paraná, que possui 2,4 mil quilômetros de vias navegáveis de Piracicaba e Conchas (ambos em São Paulo) até Goiás e Minas Gerais (ao norte) e Mato Grosso do Sul, Paraná e Paraguai (ao sul). O sistema liga cinco dos maiores estados produtores de soja do país e é considerada a hidrovia do Mercosul.
publicado: 25/07/2012 18h45, última modificação: 20/06/2018 17h13

O presidente da Codevasf, Elmo Vaz, participou nesta quarta (25), em São Paulo, de visita técnica ao sistema hidroviário Tietê-Paraná, que possui 2,4 mil quilômetros de vias navegáveis de Piracicaba e Conchas (ambos em São Paulo) até Goiás e Minas Gerais (ao norte) e Mato Grosso do Sul, Paraná e Paraguai (ao sul). O sistema liga cinco dos maiores estados produtores de soja do país e é considerada a hidrovia do Mercosul.

Na companhia do gerente de Concessões e Projetos Especiais da Codevasf, Roberto Strazer, do secretário estadual da Indústria Naval e Portuária da Bahia, Carlos Costa, e do presidente da Companhia Docas de São Sebastião (do governo estadual de São Paulo), Casemiro Carvalho, o presidente percorreu parte da hidrovia que, em seu trecho paulista, possui 800 quilômetros de vias navegáveis, dez reservatórios, dez barragens, 23 pontes, 19 estaleiros e 30 terminais intermodais de cargas.

Sua infra-estrutura, administrada pelo Departamento Hidroviário (DH) transformou o modal em uma alternativa econômica para o transporte de cargas, além de propiciar o reordenamento da matriz de transportes da região centro-oeste do Estado e impulsionar o desenvolvimento regional de cidades como Barra Bonita e Pederneiras.

O governo federal está investindo R$ 432,3 milhões na hidrovia para implantação do Estaleiro Rio Tietê, cujo projeto prevê a construção de 80 barcaças e 20 empurradores, formando assim 20 comboios com capacidade de transporte de 7,6 milhões de litros cada. Quando alcançar plena operação, prevista para 2015, os comboios deverão realizar transportes de cargas equivalentes a 80 mil viagens de caminhão por ano. Além do investimento nas embarcações, o governo federal está investindo R$ 40 milhões na construção do Estaleiro, cuja geração de empregos está calculada em 500 empregos diretos e 2 mil indiretos.

O evento de lançamento da pedra fundamental do Estaleiro Rio Tietê e a assinatura de protocolo de intenções entre os governos federal e estadual para investimentos em obras da Hidrovia Tietê-Paraná foi comandado pela presidenta Dilma Roussef em setembro do ano passado em Araçatuba (SP).

Já a Hidrovia Tietê-Paraná, a partir da assinatura do protocolo de intenções, receberá investimentos da ordem de R$ 1,5 bilhão, sendo R$ 900 milhões do PAC 2. As obras do projeto serão realizadas até 2014 e contemplarão cerca de 800 km do trecho paulista da Hidrovia. O objetivo é eliminar gargalos, com a ampliação de vãos de pontes, melhorar as eclusas e retificação e dragagem de canais.

A Codevasf, vinculada ao Ministério da Integração Nacional (MI), é um dos órgãos do governo federal que opera na viabilização da Hidrovia do São Francisco, um projeto coordenado pelo Ministério dos Transportes. Até o final desse ano, a Codevasf deverá investir R$ 73 milhões para cumprir a meta de, numa primeira etapa, tornar 657 quilômetros do Velho Chico navegáveis, contribuindo para transformar esta hidrovia num canal de escoamento da produção dos agricultores situados nos vales do São Francisco e do Parnaíba, impulsionando a economia da região.