Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2007 > Codevasf irá atuar na inclusão do pescado na merenda escolar em Minas
conteúdo

Notícias

Codevasf irá atuar na inclusão do pescado na merenda escolar em Minas

No momento em que o Ministério da Pesca e Aquicultura quer que o pescado coletado por pescadores artesanais ou criado por agricultores familiares integre o cardápio da merenda escolar, em pelo menos 20% das cidades brasileiras até o próximo ano, a Codevasf
publicado: 29/03/2011 16h42, última modificação: 20/06/2018 17h10

No momento em que o Ministério da Pesca e Aquicultura quer que o pescado coletado por pescadores artesanais ou criado por agricultores familiares integre o cardápio da merenda escolar, em pelo menos 20% das cidades brasileiras até o próximo ano, a Codevasf se apresenta como articuladora na região para atendimento às pretensões do Ministério. Foi o que ficou demonstrado em reunião do superintendente regional da Companhia em Minas Gerais, Dimas Rodrigues, com prefeitos que fazem parte do Consórcio dos Municípios do Lago de Três Marias – Comlago, realizada em Três Marias, durante assembléia geral ordinária daquele Consórcio para eleição e posse da nova diretoria para o biênio 2011/2012.

Durante o encontro, que contou com a apresentação de uma palestra técnica sobre as ações e potencialidades da aquicultura desenvolvidas pela Codevasf no vale do rio São Francisco em Minas, Dimas Rodrigues afirmou que a Companhia tem “know-how” técnico e estrutural para desenvolver essa atividade. “A Codevasf tem experiência nesse tipo de ação, pois, no inicio dos anos 90, quando fui prefeito de Janaúba, fiz uma parceria com a empresa para oferecer peixe na merenda escolar da rede municipal e foi bem aceito pelos alunos”, explicou, reafirmando considerar essas razões suficientes para apresentar a proposta de inclusão do pescado na merenda das escolas públicas municipais daquela região.

Em Minas Gerais, a Codevasf tem em operação dois Centros Integrados de Recursos Pesqueiros e Aquicultura, implantados nos municípios de Três Marias e Nova Porteirinha, com capacidade para produção, em alta escala, de alevinos das espécies nativas da bacia hidrográfica do rio São Francisco para repovoamento e para produção de alevinos de tilápias para os projetos de produção. Recentemente, a Companhia implantou, em parceria com a Secretaria de Programas Regionais do Ministério da Integração Nacional, uma moderna unidade de beneficiamento de pescado, em Morada Nova de Minas, com maquinário e outros equipamentos em condições de processar todo o pescado produzido pela ação de criação e produção de peixes em tanques-rede, implantado pela própria Codevasf nos oito municípios localizados no entorno do lago de Três Marias e em outros reservatórios da bacia do rio São Francisco em Minas.

Em função da entrada em operação dessa unidade de beneficiamento na região do Comlago, paralelamente à sua construção e montagem de equipamentos, de acordo com informações do engenheiro agrônomo Fernando Britto, foram criadas sete associações comunitárias, duas cooperativas de produção e uma cooperativa central que congrega 99% dos pequenos produtores de peixe através de tanques-rede. São 112 pequenos produtores atuando em 24 projetos de piscicultura, dentro do Programa de Arranjo Produtivo Local. “Mais de 1.600 tanques-rede estão em operação, produzindo aproximadamente 1.800 toneladas de pescado por ano”, enfatiza o engenheiro da Codevasf.

O técnico em pesca e aquicultura da Codevasf em Minas, Fernando Alves, disse que a Companhia já se prepara para treinar e capacitar os membros dos conselhos de alimentação escolar, nutricionistas e serventes escolares dos municípios do alto São Francisco. Alves explica que o pescado, em especial a polpa de peixe, apresenta características favoráveis à sua introdução na merenda escolar, tais como: valor nutritivo elevado, boa aceitação pelas crianças, facilidade de preparo e armazenagem e reduzido valor comercial, além de contribuir para a elevação da renda dos piscicultores e a redução dos impactos ambientais – obtida pela diminuição dos resíduos. Nos oito municípios do Comlago, serão beneficiados, inicialmente, mais de 15 mil alunos que fazem parte do Programa Nacional de Alimentação Escolar, com recursos do Governo Federal, repassados aos municípios.